Homem chama amigo para espancar a ex e os dois são presos no DF

Vítima tinha medida protetiva contra o padeiro Jaílton dos Santos Pinheiro, 45 anos

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 23/10/2019 14:00

A equipe de inteligência da Polícia Militar prendeu dois homens na noite desta terça-feira (22/10/2019) por agredir, ameaçar e descumprir medida protetiva contra a ex-namorada de um deles. O padeiro Jaílton dos Santos Pinheiro, 45 anos, e seu comparsa, Manoel Vagnaldo Bezerra dos Santos, 39, agrediram fisicamente a ex de Jaílton, uma mulher de 31 anos, e a ameaçaram com um revólver calibre .38.

O homem tinha histórico de agressões contra a ex-companheira, que decidiu se separar dele após sucessivos espancamentos, conforme informou ao Metrópoles a Polícia Militar. Em um dos episódios, ela sofreu cortes profundos na orelha e terá de passar por cirurgia.

Segundo a PMDF, o padeiro não aceitava o fim do relacionamento e chamou o amigo, a quem apelidou de Filho, para “dar um susto” na vítima. Eles estavam de moto e a encontraram na garupa de outro motocicleta, na Quadra 405 de Samambaia. Os dois começaram a agredir o motociclista e a mulher. O homem abandonou o veículo e fugiu, enquanto a vítima seguiu com os agressores até sua casa, onde apanhou ainda mais.

Depois da violência, os dois foram até um bar da região para jogar sinuca e consumir bebidas alcoólicas. Assim que avistaram uma viatura da PM, o padeiro embrulhou a arma na jaqueta e jogou em um lote. Em seguida, tentou correr da polícia.

Eles não conseguiram ir muito longe e logo foram capturados. A dupla foi levada para a 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia), onde foi autuada por diversos crimes. A arma e quatro munições intactas foram apreendidas.

Neste 2019, o Metrópoles inicia um projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país. Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias