*

A edição de dezembro da revista GQ contará com o atleta de futebol americano Colin Kaepernick na capa. O atleta de futebol americano foi eleito o cidadão do ano pela publicação devido aos protestos que iniciou, no ano passado, durante os jogos da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano), quando se ajoelhava durante a execução do hino nacional dos Estados Unidos.

O gesto foi a forma escolhida por Kaepernick para protestar contra a brutalidade policial que tem vitimizado diversos jovens negros nos Estados Unidos. Apesar da intenção, parte da população americana, os proprietários das equipes e até o Presidente Donald Trump consideraram a atitude antipatriótica e interpretaram a ação de Kaepernick como um desrespeito à bandeira norte-americana e aos militares.

Desde o fim da última temporada, o contrato de Kaepernick não foi renovado pela sua antiga equipe, o San Francisco 49ers, e nenhuma franquia lhe ofereceu uma nova oferta.

Apesar das críticas, diversos atletas, na atual temporada, decidiram seguir o exemplo de Colin e seguem ajoelhando durante a execução do hino nacional, para desespero do presidente Trump. Além disso, diversas celebridades e ativistas – como o rapper J. Cole, a diretora Ava DuVernay e o artista Harry Belafonte – saíram em defesa do atleta, considerando-o um exemplo de inspiração para a população negra dos Estados Unidos.



COMENTE

 
donald trumpprotestosativismo negrogq