Revista elege #MeToo como um dos movimentos mais influentes do mundo

Nas lista dos Power 100, a iniciativa ficou em terceiro lugar

atualizado 19/11/2018 17:48

O movimento #MeToo surgiu em forma de hashtag nas redes sociais e ganhou repercussão no mundo todo. O barulho causado foi tanto, que a iniciativa entrou para a lista Power 100 da revista ArtReview. Na lista, são enumeradas as pessoas com atuação mais significativa no mundo da arte.

À frente do #MeToo, apenas o empresário David Zwirner e o pintor negro Kerry James Marshall.

O termo apareceu pela primeira vez em 1996,  idealizado pela ativista Tarana Burke como forma de acolher as vítimas de assédio. Porém, ele só teve repercussão em 2017, quando a atriz americana Alyssa Milano, 44 anos, usou a expressão no Twitter. Ela fez isso depois dos escândalos envolvendo um dos maiores produtores de Hollywood, Harvey Weinstein.

Esta é a primeira vez que o movimento aparece na lista, demonstrando que a mobilização vai muito além do meio artístico, podendo alcançar pessoas de diversas áreas. De acordo com a publicação, o #MeToo transformou a forma como curadores são escolhidos, exposições são montadas e prêmios são entregues.

Últimas notícias