*

Quando pensamos na decoração da casa, muitas vezes não damos a atenção devida a uma parte importante: o local de estudos. No caso das crianças e adolescentes, que precisam passar bastante tempo concentrados, é crucial ter um cantinho que inspire produtividade.

Com algumas dicas, é possível implementar uma escrivaninha boa, mesmo sem espaço de sobra ou quantidades exorbitantes de dinheiro. Além de uma mesa e uma cadeira confortável, o arquiteto André Alf fala que o local de estudos precisa de uma gaveta para objetos pequenos, prateleiras mais baixas para porta-trecos e um armário elevado.

Para quem tem um cantinho apertado, André dá uma dica de ouro: “Nichos e prateleiras logo acima da mesa ajudam a multiplicar espaços!”. Já Fabiani Christine, proprietária da Dot Paper, recomenda apostar em caixas. “Você pode empilhá-las para fazer menos volume e colocar etiquetas em cada uma”. Ela também sugere que escrivaninha fique em uma parte arejada do cômodo.

Por outro lado, Fabiani recomenda tirar as distrações visuais, como celulares e tablets, da mesa e deixar por perto água e lanches. “Assim a criança ou adolescente evita levantar e perder a concentração”. Para o arquiteto, o pior erro na hora de focar é usar a cama como local de estudo.

Quanto às tendências que vão fazer a cabeça dos estudantes neste ano, Fabiani aposta nos adesivos de lousa preta – nos quais você pode escrever com giz – e papel de parede de mapa-múndi. André prevê LEDs nas luminárias de mesa e passar fios para evitar que fiquem expostos.

Reaproveite
Se refazer a escrivaninha já pesou no orçamento, nada tema. Apesar da temporada do volta às aulas ser conhecida pelo preço salgado, há soluções para te ajudar a poupar. Reinaldo Domingos, do canal Dinheiro à Vista, dá algumas dicas. A primeira é se planejar anualmente para as compras escolares e colocar esse gasto no orçamento.

Outra boa recomendação é reaproveitar, porque, além de poupar dinheiro, é uma alternativa sustentável. “No caso dos livros, vale a pena procurar pais de alunos mais velhos para emprestar ou comprar por um preço mais acessível, se estiverem em boas condições de uso”, afirma.

Nem tudo precisa ser renovado anualmente. Materiais como mochila, régua e tesoura podem ser usados de épocas anteriores, sem problema. “Outra ideia interessante é reunir alguns responsáveis e comprar itens em atacado, como caixas de lápis, cadernos e agendas.”

A dica final de Reinaldo é pagar à vista sempre que possível. “Quando não puder, opte por poucas parcelas que caibam no bolso, para não comprometer as finanças de 2019 por vários meses”, diz.