Arquitetos cobrem com tijolinhos paredes de apartamento na Asa Norte

Respeitando a história do prédio, Joanne Viana e Pedro Grilo reformaram o imóvel de 68m² para criar uma integração entre interior e exterior

Joana França/DivulgaçãoJoana França/Divulgação

atualizado 11/03/2019 14:36

Os prédios de Brasília são cheios de história. Cada arquiteto responsável pensou em sua visão de mundo para criar uma experiência ao morador e, mesmo com o passar dos anos e o desgaste causado pelo tempo, ainda há quem queira levar ao pé da letra o projeto inicial. É o caso do casal de arquitetos Joanne Viana e Pedro Grilo, que adquiriram um apartamento em um bloco de 50 anos conhecido pelos tijolinhos e decidiram implantar o revestimento também no interior da casa.

“Projetar a própria casa é um desafio para qualquer arquiteto. É, também, uma oportunidade única de experimentação”, diz o casal. Os dois chegaram em um imóvel de 68m² degradado, com tubulações enferrujadas, janelas emperradas e piso arranhado, e optaram por preservar e reservar os elementos originais do prédio. Colocaram abaixo muitas paredes para expor as lajes e vigas, descobriram colunas escondidas e encontraram as paredes de tijolinhos, em uma continuação do exterior do prédio.

“Encontramos muitas infiltrações e coisas enferrujadas. Para completar, decidimos levar a cozinha inteira para a sala. Não ia ser possível integrar os ambientes como queríamos no projeto original por conta das colunas, então trocamos a tubulação toda para movê-la”, explica Pedro Grilo.

O resultado foi um apartamento contemporâneo, mas que respeita as raízes e os materiais da construção feita há meio século. As janelas amplas e o cinturão de árvores que circulam o bloco completam a obra, interagindo com o interior.

Confira mais fotos do projeto na galeria:

Últimas notícias