Criança viraliza exaltando cabelos cacheados: “Sou minha própria referência”

Desde pequena, menina que viralizou na web aprendeu a contestar comentários frequentes sobre sua aparência

atualizado 02/12/2020 16:13

menina com cabelo crespoReprodução/Instagram

A pequena Manuella, de 7 anos, é um exemplo de autoestima e representatividade. Desde nova, ela aprendeu a rebater comentários negativos sobre sua aparência. “Sou uma inspiração para a próxima geração”, disse a menina em um vídeo gravado pela tia, a modelo Yasmim Estevam.

Nas imagens, a criança demonstra segurança e atitude. Perguntada se gosta de seus cabelos, responde, com convicção: “Amo. Adoro!”. Manuella ainda dá mais uma demonstração de autoamor antes do encerramento: “E quando alguém fala que não gosta do seu cabelo, o que você diz?”, pergunta a modelo. A pequena responde: “Querido, aceita, o problema é seu!”.

O vídeo foi postado no Instagram de Yasmin Estevam e fez sucesso nas redes. Desde sua publicação, a postagem foi vista por mais de 1 milhão de pessoas e recebeu mais de 30 mil curtidas. Na manhã desta quarta-feira (2/12), a modelo se emocionou com a repercussão do vídeo. Artistas que inspiram a criança, como Camila Pitanga, Sheron Menezes, Letícia Colin e Fernanda Nobre, também compartilharam a publicação.

Ao portal Uol, a mãe de Manuella, Kelly Gomes de Souza, conta que esse traço de personalidade sempre foi muito forte nela. “Ela sempre foi assim, porque tem o cabelo cacheado e é gordinha. Tivemos de ensiná-la como enfrentar os comentários das pessoas referentes ao cabelo e ao corpo”, explica.

De acordo com a mãe, os comentários sobre a aparência de Manuella são frequentes. Entre os exemplos, a menina ouviu que “tinha cabelo ‘bombril’. Ela, como uma criança esperta, entendeu que era uma ofensa”, lembra Kelly. Apesar da pouca idade, a garotinha também ouviu certa vez, uma recomendação para que fizesse uma dieta, mas o pediatra confirmou que a pequena está saudável.

A família, então, decidiu conversar com ela sobre cabelo e preconceito. A iniciativa de explicar e reforçar a autoestima da criança partiu da mãe, a partir do diálogo e do exemplo. “Ela precisaria ser forte, porque nem sempre seriam só elogios e, infelizmente, no mundo existem pessoas ruins que, para se sentirem bem, precisam ofender as outras com sua cor de pele, tamanho ou tipo do cabelo e do corpo”, acrescenta a mãe.

0

Contudo, a beleza e carisma da criança também chamam atenção positivamente. Uma vez, enquanto a família passeava em um shopping, várias pessoas viram Manuella e encheram a pequena de elogios “Foi uma injeção de ânimo!”, relembra Kelly.

Últimas notícias