Caso Gabriela Pugliesi mudará foco de influencers, diz psicóloga

Críticas recebidas pela blogueira fitness deverão mudar a forma como outros influencers enxergam as próprias postagens

atualizado 29/04/2020 16:56

A influenciadora Gabriela PugliesiReprodução

No último fim de semana, um dos assuntos mais comentados nas redes sociais foi a festinha particular promovida pela blogueira Gabriela Pugliesi. Curada do coronavírus há algumas semanas, a musa fitness quebrou a quarentena e recebeu um grupo de amigos em casa, indo contra as recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Depois de uma enxurrada de críticas, a baiana radicada em São Paulo perdeu patrocínios e tirou o perfil no Instagram do ar. O marido, Erasmo Viana, também influenciador, tomou a mesma medida.

Com mais mortes de Covid-19 que a China, a crise no Brasil atingiu seu ponto mais alto nessa terça-feira (28/04). Para a mestre em psicologia Erci Ribeiro, esse cenário, somado à situação vivida recentemente pela blogueira, fará influenciadores repensarem seus conteúdos antes de quaisquer publicações.

0

“O público começa a refletir e cobrar uns dos outros mais empatia e responsabilidade sobre o que é veiculado. A blogueira. O cantor que fez a live com garçom. Todas essas vivências geram uma certa exigência e compromisso desses influenciadores no aspecto digital sobre o que estamos passando. Estamos em um período de férias ou de reforçar que precisamos cuidar de nós, como coletivo?”, indaga a profissional.

Marcas se posicionam

Para ela, a perda de patrocínio serviu, também, como lição a outros colegas de profissão.

“Isso, inclusive, é um movimento que vem tomando maior latência, a amplitude de cuidar do outro. As marcas querem associar os produtos ao humano e ao compromisso social”, acredita.

“Há a cobrança sobre uma postura dessa elite. Ela precisa ter um pensar e um agir que se distanciem da relação narcísica, ególatra, em detrimento de uma classe e de um grande contingente de população que não tem acesso a determinados ‘mimos’”, emenda Erci.

Vale lembrar que Gabriela Pugliesi foi uma das primeiras brasileiras confirmadas com a doença e, no sábado, chegou a publicar Stories dizendo “f%&*-se a vida”.

Mas ela não foi a única a cometer gafes durante o período de isolamento social. Nomes famosos, e até atrizes de Hollywood, foram acusados de fazer pouco caso do coronavírus e de querer lucrar com a situação.

“A formação política ocorre ao longo da história”, defende Erci. Para a psicóloga, este momento pede uma total mudança de paradigmas. Ostentar, acredita a profissional, será algo pouco aceito, ao menos nas mídias.

Últimas notícias