Não, lavar a camisinha e reutilizá-la não é uma boa ideia

O infectologista Werciley Júnior explica que, mesmo com higienização, resquícios de bactéria e sêmen podem permanecer no produto

Divulgação

atualizado 08/08/2018 15:25

O ser humano sempre encontra formas de surpreender. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano, as pessoas estão lavando as camisinhas para reutilizá-las no mesmo ato sexual.

Apesar de soar absurdo e ter causado bastante alarde, a informação passada pelo tuíte da CSC STD já havia sido corroborada por um estudo de 2012 do Daily Mail, o qual concluiu que cerca de 3.3% das pessoas lavam a camisinha e tentam reutilizá-la.

“A camisinha é feita de material sintético, látex. Então, fragmentos de bactéria e sêmen podem grudar na parede do profilático e, mesmo com a lavagem, a higienização não é completa. Então o risco é duplo: primeiro, você perde a elasticidade, aumentando as chances de ela sair durante a relação, e, depois, se expõe a resquícios virais”, explica o infectologista do Hospital Santa Lúcia Werciley Júnior.

Além disso, se o problema for economia, lembre-se que camisinhas são distribuídas gratuitamente nos postos de saúde.

Últimas notícias