*

O cafézinho é preferência nacional, consumido aos baldes no Brasil. Os pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer, Instituto Nacional de Saúde e da Escola de Medicina Feinberg, na Inglaterra, têm uma boa notícia para os viciados em cafeína: segundo o resultado de um estudo publicado em agosto de 2018, as quantidades de café consumido estão ligadas diretamente à longevidade. Em outras palavras, quanto mais você toma, mais tempo viverá.

A pesquisa envolveu 500 mil pessoas no Reino Unido com idades entre 38 e 74 anos, que consomem entre uma e oito xícaras de café por dia. As pessoas foram acompanhadas por 10 anos: neste período, 14 mil participantes morreram, e o consumo de café desses indivíduos era baixo. “Essas descobertas fornecem mais garantias de que o consumo de café pode ser parte de uma dieta saudável”, explicam os pesquisadores.

O estudo seguirá coletando dados para ter certeza da correlação entre a bebida e o tempo de vida, mas os especialistas acreditam que o café é sim um dos responsáveis pela longevidade dos participantes, pois é comprovadamente benéfico para pacientes com doenças cardíacas e alguns cânceres. “Mas as preocupações sobre o café, principalmente entre pessoas com polimorfismos genéticos que afetam o metabolismo da cafeína, e sobre quem bebe mais de cinco xícaras por dia, continuam”, afirmam os responsáveis pela pesquisa.