Médicos explicam como o corpo reage a viagens de avião

Ouvidos entupidos e pele ressecada são algumas das reclamações mais comuns entre os passageiros. Entenda os efeitos e saiba como evitá-los

Getty Images

atualizado 05/12/2019 19:19

Se você já sentiu os lábios ressecados, o rosto inchado e o ouvido entupido durante uma viagem de avião, não se sinta sozinho. Os efeitos são supercomuns em passageiros que enfrentam voos de longa duração.

Em suma, os desconfortos são causados pela baixa umidade do ar e pressurização da cabine. Para te ajudar a entender os fenômenos e ensinar como evitá-los, o Metrópoles reuniu um time de especialistas.

Confira:

Pele e lábios ressecados

“A pouca umidade e o forte ar-condicionado das aeronaves são capazes de provocar o ressecamento das mucosas das vias aéreas, da pele e dos lábios”, revela a dermatologista Mônica Fialho, da clínica BarraSkin.

A quem quer evitar o mal-estar, a especialista recomenda hidratação antes, durante e depois do voo. “Aplique soro fisiológico no nariz e nos olhos, além de usar produtos para nutrir a pele e a boca”, indica.

Retenção de líquido

A especialista em dermatologia Mariana Chambarelli, do consultório Denise Chambarelli, conta que a retenção de líquido também é um sintoma corriqueiro, principalmente em passageiros que se movimentam pouco durante o voo.

“Para fugir da retenção, é fundamental se movimentar, beber bastante água e usar meia elástica de compressão, essencial para melhorar a circulação sanguínea”, cita.

Ouvido entupido

Outro incômodo frequentemente relatado pelos viajantes é o ouvido entupido. “A mudança brusca de pressão atmosférica causa um desequilíbrio entre o ar que está dentro dos ouvidos e o ambiente, gerando uma distensão da membrana timpânica, causando um abafamento temporário da audição e desconforto”, explica o otorrinolaringologista Gustavo Gosling, da Otoclínica.

O médico destaca que as maneiras de aliviar a pressão são simples. “Basta mastigar chicletes e provocar bocejos, movimentos que ajudam a abrir a tuba auditiva. Também é válido fazer uso de sprays nasais, que diminuem secreções e facilitam a circulação do ar”, orienta.

Últimas notícias