*

Vindo diretamente do Japão, ele está em alta há um certo tempo. A partir da mesma folha dos chás verde, preto, vermelho, branco e oolong, o matcha é produzido com a Camellia sinensis de forma diferente e, por isso, tem mais aminoácido e clorofila.

O gosto é bem curioso. Por exemplo, enquanto o chá-verde é mais amargo, o matcha é mais suave e adocicado. Elaborado a partir de folhas jovens e cultivado longe de raios solares, o resultado final é um pó solúvel de cor verde bem escura.

E o principal benefício em comparação ao chá-verde comum: o matcha tem 137 vezes mais catequinas, importantes antioxidantes responsáveis por defender nossas células da ação dos radicais livres, além de trazer melhorias para a saúde do coração e do cérebro.

Ainda não está convencido? “Além das substâncias antioxidantes, a bebida tem ação anti-inflamatória, retardando o envelhecimento e prevenindo doenças como a obesidade”, explica a nutricionista Daiane Sousa, da Nutricionistas & Funcional.

“Já a clorofila é uma importante fonte de magnésio e colabora com a capacidade de relaxamento do organismo, além de auxiliar na eliminação das toxinas”, continua a especialista.

iStock

O matcha depois de moído em moinho

De acordo com Daiane, o matcha é uma ótima opção de chá cafeinado para despertar, com a vantagem de não deixar a pessoa acelerada ou causar ansiedade, como o café. “Isso ocorre devido à riqueza de L-Teanina, substância que traz foco e calma para a mente, sendo ótima para concentração e produtividade”.

Agora que você já tem muitos motivos para gostar da bebida, não saia por aí consumindo litros e litros. O ideal são duas colheres de café, ou uma de chá, por dia. Evite a ingestão após as 17h devido à cafeína. Grávidas e mulheres em aleitamento não podem desfrutar do matcha. Pessoas com hipotireoidismo devem tomar cuidado e consultar o médico.


Como consumir
Sua fama se espalhou e, agora, o ingrediente pode ser encontrado em receitas diversas, como sucos e bebidas rápidas. Confira algumas:

Onde encontrar: