Filtro solar em cápsula? Novidade garante maior proteção da pele

As cápsulas também retardam o envelhecimento do tecido e previnem queimaduras

atualizado 23/11/2018 21:44

Arte/Metrópoles

A busca por beleza de dentro para fora nunca esteve tão em alta. Da alimentação consciente à adoção de hábitos de bem-estar na rotina, as pessoas têm priorizado a qualidade de vida. Outra novidade saudável que vem revolucionar o mercado no verão é o fotoprotetor oral.

A ideia pode parecer estranha, mas especialistas garantem os resultados. As cápsulas de protetor solar são oferecidas por farmácias de manipulação e adaptadas para as necessidades de cada paciente. “Esta é uma terapia complementar, ou seja, a pílula não substitui o fotoprotetor tópico, como cremes e géis”, alerta Silvia Letícia Mazeto, farmacêutica da Tave Pharma.

A dermatologista e consultora da Condor Luciana Maluf reforça que as cápsulas são eficazes, mas o paciente deve ter outros cuidados. “A fotoproteção oral funciona apenas em uma ação conjunta. Precisamos também de formas físicas, como chapéus, óculos e camisetas, para combater a radiação UV”, diz.

O produto atua como uma barreira extra do corpo contra raios ultravioleta. “As cápsulas contêm substâncias que refletem ou absorvem a radiação solar”, explica a farmacêutica Flávia Ribeiro, da Quality. O fotoprotetor oral pode ser usado por todos, mas é especialmente indicado para quem possui manchas, lesões, melasma e predisposição a câncer de pele.

Além disso, a proteção de dentro para fora previne queimaduras e retarda o envelhecimento da pele. “Com as cápsulas, a prevenção contra o sol fica mais completa. Elas são compostas por ativos antioxidantes escolhidos de acordo com o paciente”, afirma Verônica Dias, farmacêutica da Essencial.

O fotoprotetor oral é encontrado em farmácias de manipulação. Na Quality, o produto pode vir com betacaroteno, Polypodium (um extrato de samambaia) e vitaminas como E e C. Já na Tave Pharma, a proteção é enriquecida com licopenos e vitaminas A e E. O oferecido pela Essencial vem com antioxidantes. Nas três empresas, as dosagens são medidas e elegidas de acordo com o paciente.

Para ter resultados, quem faz o tratamento precisa tomar uma pílula todo dia. “Se a pessoa está se prevenindo para uma viagem à praia, por exemplo, precisa começar a ingestão das cápsulas pelo menos 20 dias antes”, reforça Silvia.

Como o fotoprotetor oral é manipulado conforme as exigências de cada consumidor, a faixa de preço é bem variada. Em média, uma dose de 30 dias custa R$ 39,90 na Quality, R$ 100 na Essencial e R$ 270 na Tave Pharma.

Mais lidas
Últimas notícias