*

Com o avanço da conversa sobre direitos e deveres reprodutivos, um ponto fica claro: a mulher não deve ser a única responsável por evitar a gravidez. O abandono da pílula contraceptiva por parte delas também tem sido um fator para cobrar o desenvolvimento de um anticoncepcional para os homens.

Os testes para a pílula masculina têm sido conturbados. Durante uma pesquisa em 2016,  os participantes homens abandonaram as verificações por estarem sofrendo efeitos colaterais semelhantes aos das mulheres que usam prevenção hormonal. Mas um novo estudo vem obtendo sucesso.

O comprimido formulado é o dimethandrolone undecanoate, mais conhecido como DMAU. Sua composição possui alguns hormônios, como testosterona e progestina. “O DMAU é um grande passo no desenvolvimento de pílula para homens”, afirmou a pesquisadora Stephanie Page.

Alguns efeitos colaterais já foram solucionados pelo time do estudo. Os maiores problemas eram inflamação do fígado e a necessidade de tomar o anticoncepcional duas vezes ao dia, porque o corpo masculino “limpava” mais facilmente os hormônios. Diferentes dosagens e componentes foram provados até chegarem a um resultado satisfatório.

Dos 100 voluntários, 83 completaram a pesquisa. A dose mais alta aplicada, 400 miligramas, provocou alguns sintomas indesejados, como aumento de peso e redução do colesterol bom, mas Stephanie Page garante que as alterações são moderadas.

O funcionamento do rim e do fígado dos participantes continuou bom, demonstrando mais avanço do estudo. Apesar do baixo nível de testosterona, a libido dos homens não diminuiu significativamente e eles não apresentaram fadiga.

Os resultados são promissores, garante Stephanie. “Estamos realizando testes mais longos para confirmar que usar DMAU todos os dias bloqueia a produção de esperma”, fala.