Justiça abre 35 vagas para big data e inteligência artificial

Aprovados no processo seletivo simplificado serão temporários para projeto no ministério e terão remuneração de R$ 8,3 mil

atualizado 21/11/2019 19:36

Ministério da JustiçaDaniel Ferreira/Metrópoles

O Ministério da Justiça e Segurança Pública está autorizado a realizar processo seletivo simplificado para contratar 35 profissionais que atuem com big data (grandes volumes de dados) e inteligência artificial. O edital de seleção será publicado até maio de 2020 e os aprovados terão vínculo com o governo por quatro anos – prazo que pode ser prorrogado.

As vagas oferecidas em caráter excepcional estão distribuídas entre engenheiros de dados (10), analistas de governança de dados (13) e cientistas de dados (12). Os requisitos para candidatura ainda não foram divulgados. Entretanto, todas as oportunidades serão para graduados. Os interessados devem passar por provas objetivas e análise curricular para fazer jus à remuneração mensal de R$ 8,3 mil.

Os aprovados vão trabalhar no projeto lançado em agosto, com ferramentas de big data e inteligência artificial de combate à criminalidade. As quatro primeiras soluções foram entregues aos estados no lançamento, e outras sete ainda serão implementadas nos próximos quatro anos.

Serão investidos R$ 32 milhões em tecnologias para facilitar a integração de dados. O projeto piloto é realizado nos estados de Goiás, Espírito Santo, Paraná e Pernambuco. Até o fim do ano, a infraestrutura digital chegará a mais oito estados do Norte e Nordeste.

O objetivo é identificar e monitorar contextos ilegais em tempo real, facilitando a ação conjunta das polícias estaduais, Polícia Federal e equipes de inteligência. Dessa maneira, visando auxiliar na elaboração de políticas públicas contra criminalidade, organizações criminosas e corrupção.

As ferramentas foram desenvolvidas na Universidade Federal do Ceará (UFC).

Polícia Federal

Na semana passada, a Polícia Federal nomeou 500 novos policiais que terminaram a primeira turma de formação do concurso em andamento. Tomarão posse 194 agentes de polícia, 151 delegados, 78 escrivães, 57 peritos criminais de várias áreas e 27 papiloscopistas.

A segunda turma do curso de formação começa as aulas em março, com 560 aprovados remanescentes.

O reforço nos quadros da PF pode ser ainda maior nos próximos anos. Está sendo avaliado o pedido de autorização de uma nova seleção.

Dois pedidos foram encaminhados ao Ministério da Economia no primeiro semestre: um com 600 chances para agentes policiais, outro com 234 oportunidades para a área administrativa. Ainda não há previsão de quando os processos serão analisados.

Últimas notícias