Annabelle 3 e além: franquia Invocação do Mal não tem data para acabar

Saga de terror mais lucrativa do cinema começou em 2013 e já teve sete filmes lançados. Universo pode bater marca de US$ 2 bilhões em 2019

Warner Bros./DivulgaçãoWarner Bros./Divulgação

atualizado 27/06/2019 12:02

A saga de filmes de terror Invocação do Mal leva aos cinemas, desde 2013, casos reais e entidades testemunhadas pelo casal de investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren. Em pouco tempo, o universo se tornou a principal franquia de horror e mais lucrativa do gênero na história do cinema, com US$ 1,6 bilhão arrecadados mundialmente. O recém-lançado Annabelle 3: De Volta Para Casa pode aproximar essas cifras da marca de US$ 2 bilhões.

O fenômeno é comparável ao de frutíferas franquias clássicas de horror que hoje andam um pouco esquecidas, como Sexta-Feira 13 (12 filmes) e A Hora do Pesadelo (9) – ambas não apresentam novidade há uma década. Algumas dessas sagas de sustos têm conseguido sobreviver, como Amityville (23), O Massacre da Serra Elétrica (8) e Halloween (11), reativada ano passado com o retorno de Jamie Lee Curtis ao papel de Laurie Strode.

Warner Bros./Divulgação
Judy Warren (Mckenna Grace): Annabelle 3 é focado na filha única do casal de demonologistas
Baixo custo, lucro bilionário

Ainda assim, nada se compara à febre The Conjuring, título original de Invocação. Criação de James Wan, antes responsável por iniciar Jogos Mortais e Sobrenatural, o universo seguiu à risca a tendência consagrada em A Bruxa de Blair (1999): baixo orçamento e bilheteria parruda.

O cineasta malaio naturalizado australiano, já acostumado a blockbusters caros (Velozes e Furiosos 7 e Aquaman), conseguiu elaborar toda uma grife em torno das histórias de exorcismo e possessão: ambientação de época, fartura de jump scares – aqueles sustos que tentam fazer você pular da cadeira, literalmente –, bom humor e um apego à “vida real” que costuma ser infalível com o grande público.

Annabelle 3 é o sétimo título da franquia e aumentou o gasto total da saga para US$ 139,5 milhões: pouco mais de um terço do orçamento de Vingadores: Ultimato. Invocação conquistou tanto apreço junto aos fãs de terror que pode se dar o direito até de criar apêndices e ramificações dedicadas a personagens secundários.

Próximos capítulos

Além do eixo principal, que ganha terceiro capítulo em setembro de 2020, a saga se divide em Annabelle, agora uma trilogia, e um ramo protagonizado pelas entidades investigadas pelo casal Warren.

A Freira (2018) mal estreou e já tem sequência garantida. No comecinho de 2019, veio A Maldição da Chorona, dono do segundo menor orçamento (US$ 9 milhões) e da pior bilheteria do universo (US$ 121 milhões). Não foi um hit, mas também não dá para chamar de fracasso. Tanto que o diretor, Michael Chaves, vai comandar Invocação do Mal 3.

Últimas notícias