Saúde do DF busca orientação da Opas para compra de vacinas contra Covid-19

Primeiras doses devem estar no mercado no primeiro trimestre de 2021, segundo representante do organismo internacional

atualizado 01/10/2020 19:23

funcionarios da saude em atendimento a pacientes no hospital hran coronavirusHugo Barreto/Metrópoles

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, reuniu-se com a representante da Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil, Socorro Gross Galiano, para pedir informações sobre o andamento das pesquisas da vacina de imunização contra a Covid-19, os insumos necessários e a rede de frios para manter as doses na temperatura correta. A retomada de termos aditivos de um Termo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Saúde e o organismo internacional também foi discutido no encontro, divulgado nesta quinta-feira (1º/10).

Okumoto manifestou preocupação em garantir vacina para imunizar a população do Distrito Federal contra o novo coronavírus e pediu informações sobre o andamento das pesquisas que a Opas e a Organização Mundial da Saúde acompanham.

“Essa sinalização é muito importante e de muita credibilidade, dessa forma é importante que a gente possa seguir esses passos, esse caminho que eles têm nos demonstrado”, disse o secretário.

Pesquisas na Fase III

A representante da Opas informou que há nove vacinas na fase III das pesquisas, sendo que três estão mais avançadas, com possibilidade de comercialização no primeiro trimestre de 2021.

“Há algumas com vírus inativado e outras que são de diferentes tecnologias. Todas as vacinas precisam de uma temperatura muito baixa de armazenamento, entre 2ºC a 8ºC positivos no momento da vacinação, diferentemente de outras vacinas que podem resistir a temperaturas maiores”, detalhou a representante da Opas. “Também não se pode misturar ou aplicar a vacina do coronavírus com outra vacina até que tenhamos mais estudos”, acrescentou.

Essas nove vacinas estão pré-qualificadas pela Organização Mundial da Saúde e, assim, também para o Fundo Rotatório para aquisição das vacinas por países e estados. Outro ponto informado foi que as pesquisas ainda não conseguem prever o período de imunização para as novas vacinas que estão em estudo e, dessa forma, não é possível prever quantas doses serão necessárias por pessoa.

“O fundo rotatório vai comprar em quantidade suficiente para atender as necessidades [do DF e] dos estados,” garantiu Socorro Gross.

A representante da Opas alertou, ainda, para que todos fiquem atentos ao que está acontecendo na Europa, com o início da segunda onda do novo coronavírus e os comportamentos da doença nesse novo momento, podendo anteceder as ações no Distrito Federal. “O que vai acontecer na Europa é um sinal do que pode acontecer aqui”, resumiu.

Termo de Cooperação

O secretário de Saúde também levou à pauta da reunião a retomada de cinco termos aditivos dentro da Opas, relacionados a um Termo de Cooperação da pasta com o entidade. “Esses termos serão fundamentais para o aprimoramento da nossa gestão, para que a gente possa responder muito rapidamente e tecnicamente com orientação de grandes profissionais nas nossas ações perante a saúde do DF”, explicou Okumoto. (Com informações da Secretaria de Saúde)

Últimas notícias