“Inventaram essa história”, diz Fraga após fim de ação sobre empregada

Ex-deputado federal era acusado de nomear ex-babá em gabinete parlamentar, mas MP pediu arquivamento da denúncia

atualizado 19/11/2021 14:08

Entrevista com Alberto Fraga Hugo Barreto/Metrópoles

O ex-deputado federal Alberto Fraga, presidente do Democratas no Distrito Federal, afirmou ter sido vítima de uma invenção após o acusarem de nomear uma empregada doméstica no gabinete da Câmara dos Deputados em 2009. O Ministério Público Federal (MPF) pediu o arquivamento do caso.

“Na verdade, inventaram uma história de que ela era minha empregada doméstica. Na verdade, antes de tudo, ela trabalhou como babá, mas depois passou a trabalhar no meu gabinete. Como os pais dela moravam em fazenda, no interior de Goiás, a minha esposa havia deixado que ela pernoitasse na nossa casa e criaram essa história”, disse o político ao Metrópoles.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0
Ação penal

A ação movida em 2009 pelo MPF tramitava na 12ª Vara Federal de Brasília. Na época, os procuradores acusaram o ex-deputado de usar verba de gabinete para custear o salário de Izolda da Silva Lima. O caso era analisado pelo juiz federal Marcos Vinicius Reis Bastos.

Durante parecer oral na última quinta-feira (18/11), os representantes pela acusação recuaram e solicitaram o arquivamento da ação penal. De acordo com a defesa de Fraga, “provas físicas, documentais e testemunhais” indicaram que a funcionária atuava no gabinete parlamentar e não com trabalhos domésticos.

 

Mais lidas
Últimas notícias