Variantes do coronavírus se espalham melhor pelo ar, dizem estudos

Pesquisas demonstraram que pessoas infectadas com a variante Alfa, por exemplo, exalam 43 vezes mais vírus por aerossóis

atualizado 11/10/2021 15:15

coronavirus ilustraçãoPixabay

Desde que as primeiras variantes do coronavírus foram descobertas, a comunidade científica tenta explicar porque elas parecem ser mais transmissíveis do que a cepa original. Agora, dois estudos publicados nas últimas semanas sugerem que o vírus estaria se tornando mais eficiente para se espalhar pelo ar.

Os pesquisadores do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, responsáveis pelos dois levantamentos, demonstraram que pessoas infectadas com a variante Alfa, também conhecida como britânica, exalam 43 vezes mais vírus em aerossóis e que eles viajam por distâncias muito maiores.

Os cientistas acreditam que os resultados também podem ser extrapolados para a variante Delta, que é mais transmissível do que as outras cepas acompanhadas com preocupação pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ao jornal The New York Times, a especialista em vírus da Universidade Virgínia Tech, Lindsey Marr, afirma que os resultados apontam para uma evolução do coronavírus para se tornar mais eficiente na transmissão pelo ar.

Veja quais são os sintomas mais frequentes de Covid-19:

0

Apesar da informação, os responsáveis pela pesquisa lembram que não é preciso entrar em pânico, e que as ferramentas que já temos são suficientes para evitar a transmissão. Máscaras mais eficientes, como a PFF2/N95, por exemplo, são capazes de barrar os aerossóis.

Últimas notícias