Vai ao bar? Saiba o que exigir e como se comportar para evitar a Covid-19

O decreto governamental impôs uma série de regras aos estabelecimentos, mas também é preciso bom senso dos frequentadores

atualizado 01/08/2020 16:06

Bares e restaurantesRafaela Felicciano/Metrópoles

Depois de 117 dias de portas fechadas, os bares do Distrito Federal puderam voltar a receber clientes no dia 15/7. O movimento tímido no início da retomada expõe a insegurança da maioria das pessoas em frequentar os espaços durante a pandemia do coronavírus, sobretudo porque a orientação dos infectologistas e autoridades de saúde é manter o isolamento social e evitar aglomerações. O Metrópoles mostrou, na última terça-feira (28/7), que duas semanas após a abertura dos bares, o DF bateu recorde de mortes por Covid-19.

O decreto governamental que permitiu a volta dos estabelecimentos impôs uma série de regras a serem seguidas para evitar que o coronavírus de dissemine e infecte outras pessoas. Porém, a responsabilidade não é toda dos bares: também é preciso atenção por parte dos clientes.

Para ajudar nesta transição com segurança, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos divulgou um extenso material com instruções para os donos de estabelecimentos evitarem a transmissão da Covid-19. Nele, também há dicas de bom comportamento para os frequentadores. Se você decidiu realmente sair, veja as instruções de como minimizar a transmissão nos bares com base no decreto do GDF e nas orientações do CDC:

Como se comportar nos estabelecimentos (recomendações do CDC)

– Quanto mais um indivíduo interage com os outros, maior o risco de disseminação do coronavírus;
– Lave frequente as mãos (por exemplo, antes, durante e após a refeição) com água e sabão por pelo menos 20 segundos ou com álcool 70%;
– Mantenha a máscara no rosto e a retire apenas para fazer as refeições;
– Verifique se o estabelecimento tem sabão, álcool em gel, toalhas de papel, lenços e latas de lixo sem toque/pedal;
– Siga todas as regras de segurança exigidas, sobretudo o distanciamento entre as mesas;
– Não compartilhe itens difíceis de limpar, higienizar ou desinfetar (como talheres e aparelhos celulares);
– Evite usar ou compartilhar itens reutilizáveis, como cardápios, condimentos e outros recipientes para alimentos;
– Use as opções de pagamento sem contato, se disponível. Se for pagar em dinheiro, coloque as notas em uma bandeja ou no balcão;
– Priorize os assentos ao ar livre;
– Para chegar ao estabelecimento, dê preferência ao transporte que minimize o contato próximo com outras pessoas. Vá a pé, de bicicleta, ou em carro individual (se não for beber).

O que exigir dos estabelecimentos (conforme consta no decreto do GDF)

– Lotação dos bares e restaurantes reduzida a 50% da capacidade total;
– Não está permitido ofertar música ao vivo nos ambientes;
– O máximo de clientes por mesa é de seis pessoas;
– As mesas devem ficar, no mínimo, a dois metros de distância umas das outras;
– Limpeza rigorosa, higienização de pratos e copos e distanciamento entre mesas e clientes;
– A ventilação natural deve ser adotada preferencialmente, evitando-se o uso de ar-condicionado;
– Cardápios, mesas e cadeiras devem ser higienizados após o uso de cada cliente;
– Os menus devem ser revestidos com material que possa ser limpo com álcool após cada refeição;
– O estabelecimento precisa oferecer luvas descartáveis de plástico e guardanapos de papel aos frequentadores;
– Embalagens de condimentos, como ketchup e mostarda, devem ser higienizados adequadamente após o uso de cada cliente;
– O estabelecimento é obrigado a monitorar e cobrar o distanciamento social nas filas, caso sejam inevitáveis.

0

Últimas notícias