SUS passará a oferecer novos medicamentos para psoríase

Remédios são indicados para casos graves ou para pacientes que não respondem aos tratamentos existentes

petekarici, Getty Imagespetekarici, Getty Images

atualizado 18/09/2019 18:23

A partir de agora, pacientes com psoríase severa ou que não obtiveram sucesso com os tratamentos existentes terão novas opções para amenizar os sintomas da doença. De acordo com o Ministério da Saúde, quatro novos medicamentos passam a fazer parte do Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT), atualizado em setembro deste ano após consulta pública realizada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS (Conitec). Os remédios serão oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Entre os medicamentos incluídos para tratamento da psoríase estão: adalimumabe, indicado para a primeira etapa do tratamento após falha da terapia padrão para psoríase; o secuquinumabe e o ustequinumabe, indicados na segunda etapa do tratamento após falha da primeira; e o etanercepte, indicado na primeira etapa de tratamento da psoríase após falha da terapia padrão em crianças. Essas tecnologias já faziam parte dos medicamentos incorporados no SUS, mas tinham indicação para tratamentos de outras doenças.

O novo protocolo dará mais opções de tratamento para os profissionais de saúde e pacientes. O PCDT já previa a terapia com o uso de medicamentos de uso externo, como corticosteroides, calcipotriol e ácido salicílico, para casos leves da doença.

Para casos moderados e graves, o tratamento deve ser por período determinado, sendo a primeira opção a fototerapia ultravioleta B (UVB) de banda estreita ou psoraleno (fotossensibilizante e estimulante da produção de melanina), associado à fototerapia com ultravioleta A (PUVA). Se não houver resposta após 20 sessões ou se o paciente apresentar intolerância, contraindicação ou indisponibilidade de aderir ao tratamento, é indicada a introdução de medicamentos sistêmicos.

Até agora, o governo oferecia tratamentos com fototerapia e fototerapia com fotossensibilização, além de medicamentos como ciclosporina (cápsulas ou solução oral), metotrexato (comprimido ou injetável), acitretina (cápsulas), calcipotriol (pomada), clobetasol (creme) e dexametasona (creme).

A psoríase é uma doença crônica de pele relativamente comum: ela provoca o surgimento de manchas vermelhas e ressecadas que podem causar sensação de coceira ou ligeira queimação ou dor. Autoimune, não contagiosa e de gravidades diferentes conforme a situação do paciente, a psoríase pode ser desencadeada por uma série de fatores, como estresse, infecções, medicamentos, fumo e álcool. Embora geralmente só afete a pele, caso se agrave, a doença pode acabar atingindo as articulações, resultando na artrite psoriática.

Os medicamentos, somados aos tratamentos médicos e sessões de fototerapia, melhoram as lesões, mas não curam a doença. A melhor forma de tratamento e administração de remédios é feita com base em avaliação clínica, caso a caso, entre o médico e o paciente.

Últimas notícias