Só 1 em cada 5 meninos tomou vacina contra HPV

Oferecida na rede pública gratuitamente para meninos, a vacina contra o HPV alcançou somente 21% do público esperado

atualizado 28/10/2019 19:19

kuniharu wakabayashi, Getty Images

Quase três anos após começar a ser oferecida na rede pública gratuitamente para meninos, a vacina contra o HPV alcançou somente 21% do público esperado. Dados do Ministério da Saúde mostram que somente um em cada cinco adolescentes de 11 a 14 anos que já deveriam estar protegidos contra o vírus tomou, de fato, as duas doses da vacina necessárias para garantir a imunização.

O HPV é mais conhecido por provocar o câncer de colo de útero, mas também pode causar outros tipos de tumores, como os de pênis, ânus, garganta, vulva e vagina. Em 2014, a vacina começou a ser ofertada para meninas no Sistema Único de Saúde (SUS) e teve a indicação ampliada para meninos no início de 2017.

A cobertura da vacina contra o HPV entre meninos é ainda menor do que a observada em relação a meninas, também considerada baixa. Entre o público feminino, o porcentual de adolescentes que tomaram as duas doses do imunizante desde que a vacina foi incorporada na rede pública é de 42%. A meta do ministério para ambos os casos é que a cobertura chegue a 80%.

Segundo relatos de especialistas e de pais de adolescentes nessa faixa etária, o desconhecimento sobre a oferta dessa vacina no SUS é a principal razão para a adesão tão baixa ao imunizante.

“A vacinação de adolescentes no geral é um desafio, porque os pais geralmente associam a necessidade de vacinas somente à infância, não sabem que há vacinas que devem ser dadas na adolescência. Especificamente, no caso da vacina contra o HPV para meninos, há uma dificuldade ainda maior, porque a maioria das pessoas associa o vírus apenas ao câncer de colo de útero”, explica Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Somam-se a esses fatores uma divulgação insuficiente da oferta dessa vacina para meninos e a ausência de campanhas dentro das escolas.

O que é o HPV?

Vírus transmitido pela relação sexual ou pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas, o HPV é responsável pela quase totalidade dos casos de câncer do colo do útero, por mais de 90% dos casos de câncer anal e por 63% dos cânceres de pênis, além de parte de outros tipos de tumores, como os de garganta, vulva e vagina.

Quem pode se vacinar no SUS?

Devem receber a vacina no SUS meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Também podem receber o imunizante gratuitamente pessoas vivendo com HIV/aids, transplantados de órgãos sólidos, de medula óssea e pacientes oncológicos, todos entre 9 e 26 anos.

Quantas doses são necessárias?

A vacina é dada em duas doses, com intervalo de seis meses entre cada uma delas.

Por que a vacina é dada nessa faixa etária?

Porque é mais favorável que a vacinação seja feita antes que a pessoa tenha atividade sexual.

Por que é importante que os meninos também se vacinem contra o HPV?

Porque, além de proteger os adolescentes contra cânceres como os de pênis e de ânus, a vacina também permite que o número de homens infectados no futuro diminua, reduzindo, assim, o número de potenciais transmissores do vírus para mulheres.

Últimas notícias