Má higiene íntima pode causar câncer de pênis

Vírus da HPV e tabagismo são outros motivos que colaboram para o surgimento da doença. Em casos mais graves, o pênis é amputado

Pitiphothivichit, IstockPitiphothivichit, Istock

atualizado 25/03/2019 17:05

A higienização íntima correta pode prevenir doenças sérias como o câncer de pênis. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), há cerca de seis mil novos casos da doença por ano no Brasil. Não é o tipo mais comum entre os homens, mas é um dos mais preocupantes, porque os casos mais graves podem levar à amputação do órgão.

A principal causa do câncer de pênis é o vírus da HPV, que tem 150 variações e provoca lesões benignas ou malignas, sendo que os tipos 16 e 18 são os que possuem maior associação ao câncer de pênis. Além da contaminação por HPV e má higiene, a doença pode estar relacionada ao tabagismo e ao estreitamento do prepúcio, condição que passível de ocorrer em homens que não se submeteram à circuncisão.

O Centro de Referência da Saúde do Homem de São Paulo aponta que 60% dos homens só procuram um médico quando têm uma doença em estágio avançado e, dificilmente, fazem exames preventivos. No caso do câncer de pênis, por exemplo, é importante ficar atento no aspecto geral do órgão, pois podem surgir feridas na cabeça, na pele que cobre a cabeça ou no corpo do pênis.

Secreção branca com mau cheiro e sangramentos, bem como inchaço podem ser outros sinais de alerta. A presença de linfonodos inguinais na virilha indica a progressão da doença.

Além da vacina de HPV a partir de 11 anos para meninos na rede pública ou em qualquer idade na rede privada, o uso de preservativos nas relações sexuais e uma boa higienização do pênis são essenciais. A lavagem ideal inclui bastante água e sabão neutro. No caso de homens que têm a pele que cobre a cabeça do pênis, a recomendação é puxá-la e lavar bem toda a parte que fica escondida.

O câncer de pênis tem cura, mas o tratamento varia de acordo com a extensão do tumor. Normalmente, a cirurgia é a melhor opção para remover os tecidos afetados. Isso significa, no entanto, que o órgão pode diminuir de tamanho. A radioterapia e quimioterapia também são opções de tratamento. Em algumas situações mais graves, é preciso colocar uma prótese peniana.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias