Saiba como as emoções podem influenciar a saúde da sua pele

Situações estressantes ou traumáticas podem piorar sintomas de doenças cutâneas e causar outros problemas, como queda de cabelo e sudorese

Unsplash/DivulgaçãoUnsplash/Divulgação

atualizado 14/10/2019 14:15

Você sabia que o seu estado de humor pode ficar, literalmente, à flor da pele? Isso porque as emoções são fatores cruciais para agravar e até causar alguns tipos de doenças cutâneas. Vitiligo, psoríase, acne, dermatite atópica, desidrose, dermatite seborreica, rosácea, hiperidrose e dermatite factícia (automutilação) são alguns exemplos. Coceira, queda de cabelo sem motivo aparente e suor excessivo podem ser sintomas decorrentes de situações estressantes, ansiedade e nervosismo, de acordo com a dermatologista Ana Regina Trávolo.

A área dermatológica dedicada à conexão entre a pele e a mente é chamada de psicodermatologia. Segundo o Ministério da Saúde, as psicodermatoses “referem-se a qualquer doença que afeta a pele diretamente devido a fatores psicológicos, que exercem um papel significativo”. Isso acontece porque o sistema nervoso central e a pele têm a mesma origem embrionária, sendo comum a relação entre os dois. Portanto, o estado emocional pode tanto causar doenças como agravá-las.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), de 30% a 50% dos pacientes dermatológicos apresentam também algum problema de ordem emocional. Ana Regina Trávolo explica que o tratamento vai além do consultório: é preciso um acompanhamento em conjunto com a psicologia para minimizar distúrbios. “O cuidado é feito com medicamentos dermatológicos de uso oral e tópico e também com o controle das emoções feito pelo próprio paciente. Assim, as crises são reduzidas”, frisa.

Por conta da relação entre a pele e os fatores psicológicos, em momentos de tranquilidade e alegria, as lesões tendem a diminuir. Já em situações de ansiedade, estresse, as doenças se manifestam com mais intensidade e frequência.

A dermatologista explica que a acne, por exemplo, está presente na face dos jovens devido às transformações hormonais que ocorrem na adolescência. Todavia, o fator estresse pode levar ao agravamento das lesões, inclusive com maior manipulação das espinhas, o que provoca cicatrizes. Já a dermatite atópica ocorre associada a asma, rinite alérgica ou urticária. Sua manifestação se dá por surtos de coceira em locais específicos. É uma doença crônica, que pode ter períodos de crise e calmaria. Também pode estar ligada diretamente ao estresse, de acordo com a médica.

A dermatite seborreica (caracterizada por descamações na pele, geralmente, no couro cabeludo e na face) e a rosácea, cujo sintoma é a vermelhidão no rosto, também são ocorrências dermatológicas relacionadas ao estresse.

Últimas notícias