Renato Aragão: entenda o que é o acidente isquêmico transitório

O ator e humorista Renato Aragão foi internado após sofrer acidente isquêmico transitório. Neurocirurgião explica o que é e como prevenir

atualizado 08/12/2022 14:56

Renato Aragão Instagram/Reprodução

O comediante Renato Aragão, conhecido como Didi Mocó, foi internado na tarde dessa quarta-feira (7/12) por conta de um Acidente Isquêmico Transitório (AIT). O ator, de 87 anos, passa bem e até mesmo gravou um vídeo para o Metrópoles tranquilizando os fãs sobre a saúde dele.

De acordo com o neurocirurgião Victor Hugo Espíndola, especialista em doenças vasculares do cérebro, o AIT é semelhante a um princípio de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mas, ao contrário do AVC, o problema é revertido de forma espontânea.

“Os sintomas duram no máximo 24 horas. Na maioria dos casos, eles duram apenas alguns minutos”, explica.

O AIT é caracterizado por:

  • Dormência em um lado do corpo;
  • Tontura;
  • Dificuldade para enxergar;
  • Dificuldade ou perda da fala.

O especialista explica que o Acidente Isquêmico Transitório acontece quando uma pequena artéria é obstruída por um trombo, mas o próprio corpo consegue reestabelecer a circulação sanguínea e reverte a situação. Dessa forma, os sintomas são resolvidos naturalmente em pouco tempo.

É perigoso?

Segundo Espíndola, mesmo não apresentando risco imediato à saúde, o AIT pode ser perigoso.

“Uma pessoa que teve um Acidente Isquêmico Transitório precisa ser internada para os médicos investigarem a causa. Se não, há o risco de ela sofrer um AVC, o que gera sequelas e pode levar à morte”, explica.

Prevenção

Assim como o AVC, o AIT pode ser prevenido evitando os fatores de risco: tabagismo, obesidade, hipertensão e sedentarismo. De acordo com o neurocirurgião, diabéticos também devem estar atentos ao controle do açúcar do sangue, pois a doença também aumenta as chances de ter acidentes cardiovasculares.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias