Pessoas infectadas com Ômicron transmitem vírus por ao menos 6 dias

Novo estudo indica que isolamento de 5 dias, como é adotado em muitos países, não é suficiente para evitar disseminação da doença

atualizado 08/03/2022 16:50

Teste covid idosoGetty Images

Pacientes da Covid-19, infectados com a variante Ômicron, podem transmitir o vírus por pelo menos seis dias, segundo mostra um estudo do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, publicado na plataforma medRxiv.

A descoberta sugere que o isolamento de cinco dias, adotado por diversos países desde a descoberta da nova variante, pode não ser suficiente para conter a transmissão do vírus.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Os pesquisadores analisaram amostras de sangue e de exames do tipo PCR de 56 pacientes da Covid-19 entre julho de 2021 e janeiro de 2022, todos recém-diagnosticados, com sintomas leves e sem a necessidade de hospitalização. Dezenove deles haviam sido infectados pela variante Ômicron e 37 pela Delta.

A redução da carga viral e o tempo decorrido até que os participantes tivessem um novo teste PCR com resultado negativo foram muito semelhantes entre os infectados pelas duas variantes, assim como o tempo de transmissão.

“Embora não se saiba exatamente quanto vírus vivo é necessário para espalhar a doença para outras pessoas, tomamos esses dados para sugerir que pessoas com infecção leve pelo coronavírus podem ser contagiosas em média por seis dias e às vezes mais”, disse a coautora do estudo, a médica Amy Barczak, do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston.

Isolamento pelo mundo

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos atualizou, em 27 de dezembro de 2021, as recomendações de segurança da Covid-19, reduzindo o tempo de isolamento de dez para cinco dias após o início dos sintomas ou do teste positivo.

A orientação é similar à adotada pelo Ministério da Saúde em janeiro, quando o ministro Marcelo Queiroga reduziu o tempo de isolamento de casos leves e moderados para sete dias. “Apesar da mudança, as recomendações são as mesmas: o cuidado é individual e o benefício é de todos”, disse o Queiroga na ocasião.

Mais lidas
Últimas notícias