Pesquisa: ácido fólico e zinco não ajudam qualidade do esperma

Estudo feito com 2380 homens nos Estados Unidos durante seis meses não detectou diferença entre remédios e placebos

atualizado 08/01/2020 18:32

Steve Buissinne/Pixabay

Um dos tratamentos mais comuns para homens que pretendem ser pais e lidam com a infertilidade é o uso de suplementos de zinco e ácido fólico para melhorar a qualidade do sêmen. As quantidades das substâncias no organismo já foram ligadas à baixa contagem de espermas e níveis reduzidos de testosterona.

Porém, pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos descobriram que as substâncias podem não fazer diferença alguma no final das contas.

O estudo recrutou 2380 homens entre 18 e 45 anos. Metade deles tomou regularmente um suplemento de 5mg de ácido fólico e 30mg de zinco. A outra metade, um placebo. Foram recolhidas amostras de sêmen no começo da pesquisa e dois, quatro e seis meses depois do início. Os especialistas analisaram a contagem de esperma, mobilidade, qualidade e a fragmentação do DNA.

O resultado foi que não há diferença na qualidade do sêmen dos pacientes que tomaram o suplemento ou o placebo. “Essa descoberta não recomenda a suplementação de zinco e ácido fólico por homens no tratamento de infertilidade”, diz Enrique Schisterman, um dos responsáveis pela pesquisa, ao portal Daily Mail.

Últimas notícias