Pegou Covid-19 durante a viagem? Saiba o que fazer se testar positivo

Aumento de casos com diagnósticos da doença durante viagens de fim de ano levantou um alerta sobre os cuidados adequados

atualizado 06/01/2022 19:49

iStock

A alta nos casos de pessoas diagnosticadas com Covid-19 no Brasil durante viagens de Natal e do Ano-Novo levantou um alerta sobre os cuidados a serem tomados longe de casa para evitar a contaminação pelo coronavírus. Em época de férias, é importante redobrar a atenção: a variante Ômicron é mais transmissível, e a possibilidade de ser infectado é maior.

Confira quais medidas são sugeridas caso o resultado dê positivo em outra cidade ou país:

O que devo fazer se testar positivo ou tiver sintomas da doença durante a viagem?

A recomendação geral é que haja um isolamento de 10 dias, porém, cada caso deve ser avaliado. Se os sintomas são leves e há possibilidade de isolamento em um hotel ou casa, por exemplo, deve-se continuar no local. Caso o paciente seja do grupo de risco da Covid-19 e o lugar não tenha uma rede de saúde adequada, a melhor opção pode ser voltar para casa, com cuidados extras para evitar a transmissão. Um médico pode orientar nessa decisão.

Quais testes devo fazer? Apenas o de Covid-19 é suficiente?

Caso haja sintomas gripais, é importante fazer o teste para influenza e Covid-19, uma vez que os dois vírus têm circulado pelo mundo amplamente e podem se transformar em uma coinfecção que foi denominada como flurona. Além disso, o tipo de vírus diagnosticado pode alterar o tempo de isolamento e o tratamento adequado.

Quantos dias devo ficar em isolamento?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para casos leves e moderados, o ideal é que o isolamento seja de 10 dias. Os sintomáticos devem contar os dias a partir do início dos primeiros indícios, e os assintomáticos, a partir do exame.

Devo fazer outro exame após o fim do período de isolamento?

De acordo com o infectologista Eduardo Medeiros, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em entrevista à Folha de S.Paulo, não há necessidade, porque estudos apontaram que a partir do oitavo dia a transmissão diminui. Entretanto, pacientes mais graves, internados em UTI ou imunodeprimidos, podem passar o vírus por mais tempo, em geral 20 dias.

Quais cuidados devo tomar caso precise pegar um avião?

Ficar de máscara o tempo todo (de preferência do tipo N95/PFF2); lavar as mãos ou passar álcool em gel com frequência; evitar comer, beber ou conversar durante a viagem; e ​manter um distanciamento de no mínimo 1,5 metro de outras pessoas quando possível. Além disso, o ideal é escolher um local em que o assento ao lado esteja desocupado.

Como se alimentar em caso de voos internacionais com muitas horas de duração?

Para minimizar os riscos, recomenda-se comer e beber rapidamente e sem falar, recolocando a máscara logo em seguida. Outra alternativa é esperar que os passageiros ao lado comam e, só depois, quando eles já tiverem colocado a máscara, iniciar a refeição.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0
Há chances de contrair Covid-19 dentro do avião?

O infectologista Medeiros diz que as chances são muito baixas, principalmente se todos permanecerem de máscara durante todo o voo. Isso porque a maioria das aeronaves tem a tecnologia Hepa (High Efficiency Particulate Air Filter), que renova o ar interno a cada dois ou três minutos.

Se fiquei doente no exterior e já cumpri o isolamento, o que é preciso para voltar ao Brasil? 

No geral, comprovante de vacinação completa realizada ao menos 14 dias antes da viagem e teste antígeno realizado até 24 horas antes de embarcar, ou RT-PCR até 72 horas antes de pegar o voo. Também é necessário preencher a Declaração de Saúde do Viajante (DSV) 24 horas antes. Casos específicos estão detalhados no site da Anvisa.

Posso remarcar ou cancelar o meu voo sem custos, caso pegue Covid-19?

Vai depender da política de cada companhia aérea. A Gol oferece cancelamento com reembolso total, cancelamento com crédito para compras futuras ou remarcação sem custos. A Latam permite alterar a passagem uma vez sem multa, mas pagando a diferença tarifária (se houver). Já a Azul cobra taxa e diferença tarifária no cancelamento, mas não na remarcação.

Em 31/12, expiraram as leis que flexibilizaram regras no setor aéreo durante a pandemia, por isso as companhias voltaram a ter autorização para cobrar taxas em alteração de voos. Elas têm no máximo sete dias para reembolsar o consumidor caso a própria empresa cancele a viagem.

Quais cuidados tomar durante isolamento em hotel ou pousada?

O ideal é nunca deixar o quarto, recebendo as refeições na porta. Mantenha o local bem arejado, com as janelas abertas, e saia de máscara caso um funcionário ou funcionária precise limpar o quarto. Ele deve ser avisado de que há risco, para que possa usar máscara e luvas adequadas.

Estou na véspera da viagem. Adianta tomar a terceira dose agora?

O ideal é tomar a dose de reforço 14 dias antes de viajar, para que ela chegue à sua proteção máxima a tempo. Se a viagem está muito próxima, o melhor é levar a carteira de vacinação e tomar no destino, se possível, para evitar ter reações durante o percurso. A dose de reforço deve ser aplicada o quanto antes, com intervalo de quatro meses após a segunda dose ou dose única, em geral.

Mais lidas
Últimas notícias