“Pandemia acabará quando todo mundo decidir”, diz chefe da OMS

Tedros Adhanom afirmou que o mundo tem as ferramentas necessárias para acabar com a pandemia, mas distribuição das vacinas precisa melhorar

atualizado 25/10/2021 13:31

tedros ghebreyesusAnadolu Agency/Getty Images

Na avaliação do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, as cerca de 50 mil mortes semanais no mundo provocadas pela Covid-19 são um indicador importante de que a pandemia está longe do fim. E pontuou que, para isso, todos têm de tomar uma decisão nesse sentido.

“A pandemia acabará quando todo mundo decidir acabar com ela. Está nas nossas mãos, dispomos de todas as ferramentas de que precisamos para isso”, disse Adhanom durante a cerimônia de abertura da Cúpula Mundial sobre a Saúde, em Berlim, no domingo (24/10).

Veja quais são os sintomas mais frequentes de Covid-19:

0

 

Tedros voltou a pedir que a distribuição das vacinas seja equitativa, para que os países de baixa renda, que não têm condições de comprar doses dos imunizantes, consigam proteger suas populações.

No início de outubro, a OMS estabeleceu como meta global ter 40% da população de todos as nações vacinada até dezembro de 2021 e 70% até o fim do primeiro semestre de 2022. A meta é uma forma de pressionar países ricos e farmacêuticas a distribuírem suas vacinas.

“O objetivo é alcançável, mas só se os países e as empresas que controlam o abastecimento traduzirem suas declarações em fatos”, completou o chefe da OMS.

Mais lidas
Últimas notícias