O que se sabe sobre o medicamento usado por Trump no tratamento da Covid-19

O presidente dos Estados Unidos prometeu distribuir gratuitamente o coquetel da Regeneron após resultado "inacreditável"

atualizado 09/10/2020 9:33

Myke Sena/Esp. Metrópoles

Três dias após receber alta do hospital, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que vai tornar o remédio usado por ele para tratar a Covid-19 acessível e sem custo para a população do país. Trata-se do coquetel REGN-COV2, da farmacêutica Regeneron, um remédio sem eficácia comprovada.

Em um vídeo publicado em sua conta do Twitter, nessa quarta-feira (8/10), Trump disse ter sentido o efeito imediato do coquetel. “Eles me deram regeneron, e outras coisas também, mas me deram regeneron e foi inacreditável. Eu me senti bem imediatamente. Eu me sinto bem há três dias”, destacou. “Se você estiver no hospital, e não estiver se sentindo bem, vamos trabalhar para que você receba, e receba de graça”, prometeu.

A Regeneron iniciou em julho a última fase de testes clínicos do medicamento que usa anticorpos monoclonais (mAB), com 2 mil voluntários dos Estados Unidos. Essa etapa avalia a capacidade de prevenção entre pessoas sem a doença expostas a um paciente com Covid-19 e do tratamento de pessoas hospitalizadas e não hospitalizadas com a doença.

De acordo com a empresa, os resultados preliminares sugerem a redução dos efeitos do vírus no organismo de pessoas doentes, bem como o tempo de internação nos pacientes mais graves, quando a terapia é implementada nos primeiros dias da infecção. No entanto, ainda não há comprovação científica dos benefícios.

A estratégia utilizada em Donald Trump chama-se imunidade passiva. Os cientistas fazem uma cópia idêntica em laboratório de um anticorpo específico produzido naturalmente por um paciente da Covid-19 para combater a infecção.

Esse anticorpo clonado é injetado em forma de coquetel em outra pessoa para que ela combata o antígeno, sem a necessidade de estimular o corpo para gerar anticorpos, como ocorre com as vacinas. Por isso ele poderia ser usado tanto na prevenção quanto no tratamento.

A abordagem é antiga, existe desde a década de 1970 para tratamentos de câncer e Aids, por exemplo. Mas é cara, com custo variando de US$ 15 mil a US$ 20 mil (aproximadamente R$ 84 mil a 112 mil) por ano nos estados Unidos.

Tratamento de Donald Trump

O presidente foi internado na noite da última sexta-feira (2/10), horas depois de ser diagnosticado com a Covid-19. Ele recebeu uma dose de 8 g do REGN-COV2 e outros medicamentos. Entre eles, o antiviral remdesivir, dexametasona, famotidina, zinco, vitamina D, melatonina e uma aspirina. Por isso, não se pode afirmar se há um único responsável pela recuperação do presidente.

O tratamento já havia sido citado anteriormente pelo líder da equipe da Casa Branca para combater a pandemia, Anthony Fauci, como uma ponte para uma vacina.

O anúncio do presidente favoreceu os negócios da Regeneron e fez as ações subirem nessa quinta. Em julho, a empresa norte-americana recebeu US$ 450 milhões em financiamento do governo para desenvolver uma vacina ou medicamentos para a Covid-19.

Segundo a CNN Business, o presidente tem ações da Regeneron, listadas como ativos em 2017, embora não constem como ativos atualmente. O CEO da Regeneron, Leonard Schleifer, já foi membro do clube de golfe de Trump em Westchester, Nova York. Os dois se conhecem e moram na área de Westchester há muitos anos.

0

 

 

Mais lidas
Últimas notícias