O que se sabe até aqui sobre nova variante que surgiu na África

Nova variante tem mais de 50 mutações, algumas nunca vistas pelos cientistas. Já forma detectados casos em cinco países

atualizado 26/11/2021 12:56

Ilustração colorida de coronavírusGetty Images

Uma nova variante do coronavírus, denominada de B.1.1.529, preocupa o mundo. Casos da cepa registrada pela primeira em Botsuana, já foram confirmados na África do Sul, Bélgica, Israel e Hong Kong.

Autoridades internacionais estão aumentando as medidas de restrição para evitar a entrada da variante em seus territórios, pois os cientistas tem alertado que a quantidade de mutações faz da cepa a “mais significativa” até aqui.

Mutações

A nova cepa tem mais de 50 mutações, 32 delas localizadas na proteína spike, parte que o coronavírus usa para entrar nas células humanas e se reproduzir no corpo. O número de mutações é quase o dobro das identificadas na variante Delta.

De acordo com o professor de microbiologia da Universidade de Cambridge, Ravi Gupta, algumas das mutações da nova variante estão associadas à resistência a anticorpos neutralizantes, o que poderia indicar a possibilidade do vírus de escapar da ação das vacinas. “Parece certamente uma preocupação significativa”, afirmou Gupta ao jornal The Guardian.

A comunidade científica vem considerando a B.1.1.529 uma das variantes mais complexas e, para avaliar seu potencial de transmissibilidade e letalidade, bem como a resistência às vacinas, novos estudos precisarão sem feitos.

“Esta variante nos surpreendeu, ela deu um grande salto na evolução (e traz) mais mutações do que esperávamos”, disse o professor Tulio de Oliveira, diretor do Centro para Resposta Epidêmica e Inovação na África do Sul, em entrevista coletiva, na quinta-feira (26/11).

Sintomas

Especialistas do Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis (NICD) da África do Sul afirmam que, até o momento, nenhum sintoma novo foi relatado pelos pacientes após a infecção pela B.1.1.529.

Assim como ocorre com outras variantes da Covid-19, algumas pessoas permaneceram assintomáticas.

Veja quais são os sintomas mais frequentes de Covid-19:

0
 Onde há casos?

Os primeiros casos da variante foram descobertos em Botsuana, país da África Austral, em 11 de novembro. Três dias depois, novos casos foram identificados na África do Sul.

Cientistas sul-africanos confirmaram cerca de 100 casos da variante no país, principalmente na província de Gauteng, a mais populosa do país.

Hong Kong confirmou um caso relacionado a um paciente que havia viajado à África testou positivo.

Nesta sexta-feira (26/11), o Ministério da Saúde de Israel confirmou o primeiro caso no país. O paciente havia retornado de Malauí, país localizado na África Oriental. Outras duas pessoas que chegaram do exterior estão sob observação. Todos os três pacientes estão vacinados contra a Covid-19.

Mais um caso foi confirmado na Bélgica nesta sexta-feira, o primeiro da Europa. A paciente é uma mulher que apresentou sintomas gripais 11 dias após retornar do Egito.

Nome

Especialistas internacionais especulam que a B.1.1.529 será batizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de Nu, a 13ª letra do alfabeto grego, segundo um padrão estabelecido pela agência internacional.

 

Mais lidas
Últimas notícias