Covid: Israel detecta caso de nova variante sul-africana no país

Primeiro-ministro israelense anunciou que viajante infectado veio do Malauí e está vacinado

atualizado 26/11/2021 9:18

Naftali Bennett, primeiro-ministro de Israel que substitui Benjamin NetanyahuAmir Levy/Getty Images

Nesta sexta-feira (26/11), o Ministério da Saúde de Israel anunciou que um caso da variante sul-africana foi registrado no país. A cepa B.1.1.529 é considerada agressiva por ter 32 mutações na proteína spike, parte do coronavírus que faz a ligação com as células para iniciar o ataque ao corpo humano.

Segundo o comunicado do ministério, o caso confirmado é de uma pessoa que veio do Malauí, país localizado na África Oriental. Outras duas pessoas que chegaram do exterior estão sob observação. Todos os três pacientes estão vacinados contra a Covid-19.

“Nos próximos dias, nosso conhecimento aumentará rapidamente e saberemos se a variante pode passar pelo sistema imune, a que velocidade, se é mais fatal, como atinge crianças etc.”, explicou o primeiro-ministro, Naftali Bennett.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Nessa quinta-feira (25/11), o governo israelense colocou sete países na lista vermelha: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Moçambique, Namíbia e Zimbábue. Com essa decisão, apenas cidadãos ou residentes de Israel podem entrar no país caso tenham passado por esses locais há menos de 14 dias.

A Comissão Europeia já anunciou que vai propor aos 27 países membros da União Europeia a suspensão dos voos vindos do sul do continente africano em função da detecção da variante B.1.1.529. Países como a Ítália e a Alemanha, no entanto, já proibiram a entrada de viajantes da África do Sul.

Mais lidas
Últimas notícias