O que pode acontecer com crianças que tomaram vacina contra Covid-19?

Erro durante a campanha da vacinação contra a gripe no interior de SP fez com que 28 crianças recebessem fórmula trocada

atualizado 19/04/2021 17:58

criança sendo vacinadaistock

Na semana passada, um erro fez com que 46 pessoas que deveriam tomar a vacina contra a gripe fossem imunizadas com uma dose da Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Entre essas pessoas, estão 28 crianças de idades variadas, incluindo um menino de apenas 1 ano e 10 meses.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde de Itirapina (SP), onde o caso ocorreu, a recomendação pediátrica e da Vigilância em Saúde é de que as mães mantenham as crianças em observação constante. Uma equipe médica avaliará e orientará, por 14 dias, todas as pessoas vacinadas por engano.

Felícia Szeles, pediatra com especialização em alergia e imunologia infantil, explica que as vacinas contra o coronavírus ainda estão em fase de testes em pessoas com menos de 18 anos. Como os estudos entre essa faixa etária ainda não foram concluídos, não é possível saber com certeza os efeitos colaterais que as crianças vacinadas por engano podem apresentar.

“O que sabemos é que vacinas com tecnologias semelhantes costumam causar em crianças dor local e, em casos raros, febre, vômitos e diarreias”, enumera a especialista.

Szeles frisa que, até o momento, não há estudos de testes de vacinas contra a Covid-19 em crianças publicados em revistas científicas. “Já existem vários testes em andamento, conduzidos pela Pfizer, Coronavac, Oxford/AstraZeneca e Moderna”, completa. “Contudo, eles ainda estão nas primeiras fases e ainda não há liberação em bula para crianças.”

Os estudos de vacinas entre o público pediátrico são importantes para estabelecer a eficácia dos imunizantes no grupo etário, bem como a dosagem ideal, que pode ser diferente da utilizada em adultos. “Por isso, para essas crianças que tomaram a primeira dose, não é indicado que elas tomem a segunda”, alerta Felícia Szeles.

A orientação da pediatra é que o grupo espere pelo menos 14 dias para tomar a vacina contra a gripe. “Se elas tomarem a vacina da gripe antes deste prazo e tiverem algum efeito colateral, não teremos como saber qual das duas vacinas causou a adversidade”, justifica.

Veja como são as etapas de estudo das vacinas contra a Covid-19:

0

 

Últimas notícias