Mito ou verdade: mensagens motivacionais no lápis de cor funcionam?

Especialistas explicam que a atitude bem-intencionada pode ter o efeito reverso caso alguns cuidados com a criança não sejam tomados

atualizado 24/06/2019 18:14

FACEBOOK

Você deve ter visto há pouco tempo a história de uma mãe que colou mensagens motivacionais no lápis de cor da filha. A ideia bem-intencionada viralizou potencializada pela força de amplificação que histórias bacanas encontram nas redes sociais. Mas, além de carinhosa, a atitude, de fato, tem efeito para o bem-estar das crianças?

Especializada no atendimento de crianças e adolescentes e doutora em psicologia clínica pela Universidade de São Paulo (USP), Fabiana Gauy explica que sim, mas é importante estar atento à idade da criança e ao seu temperamento.”Dependendo da idade pode ajudar na construção da autoestima da criança e em seu reconhecimento, mas também pode expô-la a brincadeiras dos colegas”, explica.

A recomendação de Fabiana é para que os pais que desejam fazer uma surpresinha positiva para as crianças coloquem bilhetes em locais mais reservados, aos quais só elas tenham acesso, como a lancheira ou a agenda. “A caixa de lápis de cor é um material que não permitirá privacidade, caso a criança assim deseje”, detalha.

A psicóloga Luana Lemos Villar, da Clifops (Clínica de Fonoaudiologia e Psicologia), acrescenta que as mensagens também precisam surgir de crenças genuínas daqueles que as escrevem. Em outras palavras, as mães não podem simplesmente copiar a ideia que viram na internet, elas precisam adaptá-la ao contexto pelo qual o filho está passando e à própria relação que possuem com ele.

“O ponto principal é ser genuíno. Os pais devem acreditar naquilo que estão escrevendo, para que a criança se reconheça e resgate uma crença positiva sobre si mesma”, pontua Luana. “No caso de uma família que só joga a criança ou o adolescente para baixo, desvalorizando suas questões, se a mãe colocar uma frase como essa não vai ter efeito nenhum”, conclui.

Uma dica bem eficiente para colaborar com a autoestima de crianças e adolescentes, de acordo com Luana, é a chamada “disciplina positiva”. “Atos como agradecer quando algo é bem-feito, quando a criança ou o adolescente guarda a roupa ou o brinquedo no lugar certo, por exemplo, são motivações benéficas para o dia a dia.”

Mais lidas
Últimas notícias