Israel admite provável ligação entre vacina Pfizer e miocardite

País reconheceu imunizante como causa provável de 148 casos de inflamação no coração de pacientes imunizados com a fórmula

atualizado 02/06/2021 19:06

vacina pfizer começa a vacinar os americanos na segunda dia 14Nicolas Economou/NurPhoto via Getty Images

A vacina contra Covid-19 da Pfizer é a causa “provável” da inflamação do coração em um número muito pequeno de pessoas que receberam o imunizante, afirmou o Ministério da Saúde de Israel nesta quarta-feira (2/6). Um total de 275 casos foram identificados até agora em cerca de 5 milhões de pessoas que receberam a vacina da Pfizer em Israel.

A análise feita por médicos do país revelou que, entre dezembro de 2020 e maio de 2021, 148 desses casos de miocardite, o termo médico para classificar inchaço no coração, ocorreram logo após o paciente ter sido vacinado. Destes, 27 experimentaram a condição após a primeira dose e 121 após a segunda dose. Acredita-se que os 127 casos restantes tenham acontecido posteriormente, então a ligação com a vacina não está clara.

De acordo com os dados apresentados no estudo encomendado pelo Ministério da Saúde, a maioria dos pacientes que apresentaram o problema no coração não passaram mais do que quatro dias internados e 95% apresentaram sintomas leves.

Em nota, a Pfizer, fabricante da vacina, disse não ter observado uma taxa mais alta da doença durante seus testes clínicos do que seria esperado na população em geral e que não é possível estabelecer uma ligação entre a doença e a fórmula. A farmacêutica reforçou que reações adversas são constantemente revisadas com as autoridades sanitárias de Israel.

O Dr. Nachman Ash, coordenador de resposta à pandemia de Israel, disse ao DailyMail que: “A eficácia da vacina supera o risco.” Israel é um dos países com uma das mais bem sucedidas campanhas de vacinação contra Covid-19, tendo mais de 55% da população vacinada até o momento.

Mais lidas
Últimas notícias