Gengibre contribui para o controle da diabetes, aponta pesquisa brasileira

Especiaria pode ser usada para complementar tratamento contra a doença, pois aumenta a síntese de insulina no corpo

atualizado 09/10/2020 15:09

iStock

O consumo diário do gengibre contribui para a redução das taxas de glicemia e dos níveis de colesterol, ajudando no controle da diabetes tipo 2, segundo artigo brasileiro publicado nesta sexta-feira (9/10), na Revista Latino-Americana de Enfermagem (RLAE).

As evidências saíram da tese de doutorado da pesquisadora Gerdane Celene Nunes Carvalho, defendida em 2018, na Universidade Federal do Ceará (UFC). Ela buscava novas estratégias para evitar as complicações agudas e crônicas da doença.

“Os fitoterápicos são de fácil acesso, baixo custo e podem servir como tratamento complementar”, disse a pesquisadora à Agência Bori.

A pesquisa envolveu 144 pacientes que faziam acompanhamento da diabetes em Unidades de Atenção Primária à Saúde (UBS) da cidade de Picos, no Piauí, entre dezembro de 2017 e junho de 2018. Apenas 103 concluíram o estudo, todos mantiveram o tratamento com os medicamentos habituais.

Os voluntários foram separados em dois grupos: experimental (47 pessoas) e de controle (56); nenhum deles sabia a qual pertencia.

O primeiro recebeu duas cápsulas de gengibre em pó diariamente, o equivalente a 1,2 g da especiaria, durante três meses. Esses pacientes tiveram redução de 20,3 mg/dl a mais na taxa de glicemia do que os que ingeriram o placebo.

O consumo da especiaria foi capaz de aumentar a síntese de insulina, diminuindo a resistência do corpo a ela. O efeito permite que os índices de açúcar no sangue sejam reduzidos.

Outro benefício do gengibre é a ação termogênica, que acelera o metabolismo e reduz a gordura no sangue. De acordo com os resultados observados na pesquisa, os níveis de hemoglobina glicada e colesterol total também caíram.

A pesquisadora reforça, entretanto, que os pacientes não devem abandonar os medicamentos tradicionais. Ela sugere que o fitoterápico seja usado como uma ação complementar e que ele seja prescrito por médicos.

Últimas notícias