Estudo mostra que americanos engordaram 1kg a cada mês de lockdown

Segundo os autores, as restrições de circulação afetaram o tipo de dieta e a frequência com que as pessoas comiam

atualizado 23/03/2021 22:47

pessoa se pesando em balançaiStock

Apesar de necessário para o controle da pandemia, o lockdown tem um efeito colateral indesejado para muitas pessoas: o ganho de peso. De acordo com uma pesquisa conduzida pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, adultos submetidos às regras de restrição de circulação acumularam cerca de 907 gramas a cada 30 dias dentro de casa. O estudo foi publicado na revista científica JAMA.

A pesquisa analisou dados de 269 participantes que estavam envolvidos em um estudo de cardiologia já em andamento, chamado Health eHeart Study. Os voluntários foram orientados a se pesarem regularmente em balanças conectadas por Bluetooth. Os pesquisadores coletaram 7.444 medições de peso ao longo de um período de quatro meses — uma média de 28 pesagens de cada um dos participantes.

Dentro do universo de dados, os pesquisadores se concentraram nas medições de peso feitas entre 1º de fevereiro de 2020 a 1º de junho do mesmo ano, a fim de observar as variações de peso antes e depois das ordens de lockdown nos estados norte-americanos.

Segundo os cientistas, as restrições de circulação afetaram o tipo de dieta e a frequência com que as pessoas comiam. Em resumo, os voluntários começaram a comer mais e pior e, somados, esses dois fatores contribuíram para um ganho de peso generalizado. O lockdown também reduziu a atividade física diária, mesmo aquela do dia a dia, feita fora da academia.

“Se você pensar em pessoas que se deslocam diariamente, até mesmo correndo para o metrô ou ponto de ônibus, ou entrando nos correios para enviar uma carta, ou parando na loja – queimamos muitas calorias em atividades diárias sem exercícios”, afirmou Leanne Redman, professora de fisiologia clínica no Pennington Biomedical Research Center, uma das autoras do estudo.

Dicas para controlar o peso

Para evitar o ganho de peso durante o lockdown, é necessário privilegiar uma alimentação saudável. “Precisamos gerar um comportamento alimentar positivo, nos mantendo atentos à qualidade dos alimentos”, afirma a nutricionista Isabela Zago, da clínica Go Nutri. De acordo com ela, a hora de fazer compras e escolher o que vai no carrinho é uma das mais importantes. “Ter a despensa cheia de salgadinhos, chocolates e biscoitos recheados é um perigo em momentos em que as emoções estão tão afloradas”, comenta.

Isabela sugere que as pessoas cozinhem em casa como alternativa para garantir a qualidade e variedade do próprio cardápio. Ao fazer a própria comida, as pessoas conseguem dar preferência a proteínas mais magras e controlam melhor a ingestão de sal. Também privilegiam ingredientes mais frescos. “Preparar a própria comida reduz o consumo de gorduras, açúcar e sal, facilitando a manutenção do peso, da saúde e da qualidade de vida”, reforça.

Para a nutricionista Laura de Souza Silva, uma das melhores estratégias é tentar se manter ativo. Neste sentido, valem exercícios dentro de casa, na escada do prédio ou via aplicativos. “Ficar em casa acaba dando mais vontade de comer. Fazer exercício faz com que a ingestão e a queima calórica fiquem mais equilibradas”, justifica.

Outra orientação de Laura é evitar ao máximo “beliscar”, ou seja, comer pequenos lanchinhos em curtos períodos de tempo. “Ter por perto petiscos mais saudáveis, como frutas picadas na geladeira, facilita superar momentos de ansiedade e de fome fora de hora”, ensina.

Veja as melhores dietas para manter uma alimentação saudável:

0

 

Últimas notícias