Estados que decretaram lockdown reduziram curva de mortes por Covid-19

As medidas tomadas, pelo menos parcialmente, nas principais cidades dos estados mostraram reduções na média diária de mortes

Coronavírus com mapa do Brasil ao fundoYanka Romão/Arte Metrópoles

atualizado 29/06/2020 8:01

Cinco estados conseguiram reduzir de forma significativa a média diária de mortes por Covid-19. Em comum, todos decretaram lockdowns pelo menos parciais. São eles: Amazonas, Ceará, Pará, Pernambuco e Rio de Janeiro. A queda nos óbitos é o principal objetivo das políticas de restrição aos contatos sociais.

Os dados são do Ministério da Saúde. Eles são compilados diariamente pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, para alimentar o painel interativo com informações sobre a pandemia. A média de mortes é calculada nos últimos sete dias para diminuir a oscilação que existe entre o fim de semana e dias úteis.

Os gráficos a seguir mostram a situação de cada unidade da Federação. É possível perceber a diferença na tendência da curva em cada uma delas. Nos cinco estados com redução na média de mortes, fica nítida a existência de um pico e, em seguida, uma queda na quantidade de óbitos por dia.

A redução não é motivo, entretanto, para diminuir os esforços ou a vigilância. Um relaxamento pode levar à volta do crescimento na quantidade de mortes por Covid-19. Esse é o exemplo do Rio de Janeiro. É nítida a ponta dupla no gráfico do segundo estado mais populoso do país.

Outro exemplo é São Paulo. O estado chegou a ter uma redução sustentada na média de mortes entre 29 de abril e 6 de maio. Depois, os óbitos voltaram a subir e hoje estão em um nível muito mais elevado do que antes. Apesar disso, a capital, maior cidade brasileira e que concentra a grande maioria dos casos, deve reabrir bares e restaurantes na próxima semana.

Por outro lado, Belo Horizonte (MG), que também tem visto uma alta preocupante no número de mortes, decidiu ir na direção contrária e voltará a fechar comércios não essenciais a partir da próxima semana. Em 15 dias, tempo necessário para as medidas de restrição social começarem a surtir efeitos, será possível ver quem tinha razão.

0

Últimas notícias