Dose de reforço da Moderna oferece proteção contra Ômicron, diz estudo

Reforço de 100 microgramas elevou o nível de anticorpos em até 80 vezes mais. Moderna ainda planeja desenvolver vacina contra Ômicron

atualizado 20/12/2021 10:05

Vacina Moderna Covid-19Marilla Sicilia/Archivio Marilla Sicilia/Mondadori Portfolio via Getty Images

Testes de laboratório feitos pela Moderna indicam que uma dose de reforço do imunizante garante proteção contra a variante Ômicron. A fabricante da vacina divulgou os resultados nesta segunda-feira (20/12).

O estudo mostrou que o esquema de duas doses do imunizante, atualmente aplicado nos Estados Unidos e outros países (exceto o Brasil), gerou neutralizantes baixos contra a nova cepa. Porém, o reforço com 50 microgramas aumentou a proteção em 37 vezes. Já a dose de 100 microgramas elevou ainda mais os níveis de anticorpos — 80 vezes maior que as duas doses.

O estudo testou sangue de pessoas que receberam a vacina da Moderna contra um pseudovírus projetado para simular a variante.

Os testes foram feitos com a versão atual do imunizante, a mRNA-1273, tendo em vista a rápida disseminação da Ômicron. Mas empresa planeja desenvolver uma vacina especificamente para proteger contra a variante. Os testes clínicos devem começar no início do próximo ano.

Segundo a fabricante, a dose de 100 microgramas é segura, embora tenha uma tendência gerar reações adversas com maior frequência. Nos Estados Unidos, a agência de regulação autorizou o reforço de 50 microgramas da Moderna em outubro.

0

Novos casos

O vice primeiro-ministro britânico, Dominic Raab, confirmou nesta segunda-feira (20/12) que subiu para 12 o número de mortes associados à variante Ômicron no Reino Unido.

Além dos 12 óbitos, há ao menos 104 pessoas hospitalizadas com a variante do novo coronavírus. As informações constam no último boletim epidemiológico divulgado pelas autoridades de saúde locais.

Mais lidas
Últimas notícias