Demência: confira sinais precoces que não devem ser ignorados

O diagnóstico de doenças degenerativas tem se tornado cada vez mais frequente à medida que a população envelhece

atualizado 07/09/2022 18:48

Doença de Alzheimer Andrew Bret Wallis/Getty Images

O diagnóstico de doenças degenerativas, como o Alzheimer, tem se tornado cada vez mais frequente à medida que a população envelhece. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), condições assim afetam cerca de 55 milhões de pessoas no mundo.

A demência é caracterizada por alterações nas funções cognitivas, como a capacidade de memória e de pensamento, que atrapalham a realização de tarefas cotidianas. “Consideramos um quadro como demência quando as dificuldades cognitivas retiram a autonomia do indivíduo”, explica a neurologista Jacy Parmera, que atende no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

De acordo com ela, a demência relacionada à perda de memória é a mais comum e conhecida. Há outros problemas neurológicos que podem surgir com o envelhecimento como, por exemplo, a perda da capacidade de se comunicar, como ocorreu com o ator Bruce Willis.

Estímulos cerebrais, como praticar exercícios, ter uma vida social ativa e aprender novos hobbies, podem diminuir o risco de doenças degenerativas e, até mesmo, retardar o avanço delas. Como não existe cura para a demência, conhecer os primeiros sinais dela é importante para tomar medidas que ajudem a desacelerar a evolução dos sintomas.

Veja sinais precoces que podem indicar quadros de demência:

1. Perder-se em lugares conhecidos

Um sinal comum presente ainda no início do aparecimento da demência é perder-se com facilidade ou não conseguir encontrar o caminho de volta para casa, mesmo estando em lugares familiares. Esse sinal normalmente é considerado natural da idade, mas deve acender o alerta para uma consulta com o neurologista.

2. Dificuldade para se comunicar

A degeneração cognitiva causada pela demência pode atrapalhar atividades simples do dia a dia, como a comunicação. É possível notar dificuldade na hora de se expressar, defender opiniões e escolher as palavras certas, assim como um estado de confusão mental com as próprias emoções.

3. Mudanças de humor e de personalidade

Como a demência pode afetar áreas do cérebro que regulam o julgamento e o modo de enxergar a si, é comum que a condição interfira no autoconhecimento e até mesmo na personalidade de um indivíduo. Durante a fase inicial, podem acontecer mudanças repentinas de humor, levando o paciente a ficar apático ou antissocial, mesmo sendo normalmente sociável, por exemplo.

4. Tomar decisões que parecem não ter sentido

As doenças degenerativas também estão associadas à adoção de atitudes que não estão de acordo com a personalidade do paciente, nem fazem sentido lógico. A característica também se revela com alterações repentinas nos gostos por alimentos ou nos interesses de lazer do indivíduo.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias