Covid-19: pesquisadora de Oxford diz que proteção da vacina será duradoura

A afirmação foi feita por Sarah Gilbert, professora que lidera o estudo, para rebater boatos de que a imunização acabaria em um ano

atualizado 02/07/2020 15:01

Sarah Gilbert, professoraUniversidade de Oxford

A vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford deve durar “pelo menos vários anos”. A previsão é de Sarah Gilbert, professora que lidera o estudo mais promissor em relação à imunização contra o novo coronavírus no mundo.

Gilbert minimizou os rumores recentes de que a proteção poderia acabar em menos de um ano durante conversa com parlamentares do Reino Unido. “É algo que precisamos testar e acompanhar ao longo do tempo – não podemos saber até que tenhamos os dados –, mas estamos otimistas com base em estudos anteriores de que veremos uma boa duração da imunidade, por pelo menos vários anos, e provavelmente melhor do que a imunidade adquirida naturalmente”, afirmou a professora em reunião realizada na quarta-feira (1º/7) com o Comitê de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Comuns.

Atualmente, 8 mil britânicos voluntários participam de testes da vacina. A imunização de Oxford também está sendo testada no Brasil em 2 mil voluntários e na África do Sul, com mesmo número de pessoas. O método está na fase 3, que envolve análises em grande escala, e é a etapa anterior ao processo de regulamentação de uma vacina.

0

Mais lidas
Últimas notícias