Covid-19: estudo acha menções a sintomas no Twitter antes de primeiros diagnósticos

Foram analisados 890 mil tweets feitos na Europa em cinco línguas. Pneumonia e tosse seca foram citados semanas antes de confirmações

atualizado 28/01/2021 12:08

Logotipos do Facebook, Twitter, Instagram e YouTubeRafaela Benez/Metrópoles

De acordo com um estudo publicado na revista científica Scientific Reports, uma análise de tweets pode ser capaz de ajudar a identificar onde estão novos focos da infecção pelo coronavírus. Procurando por palavras e expressões como “pneumonia” e “tosse seca” no perfil de mais de 570 mil usuários, os pesquisadores encontraram menções aos sintomas da Covid-19 antes mesmo dos primeiros casos serem confirmados.

A equipe da Universidade da Calabria, na Itália, pesquisou 890 mil tweets em sete línguas usadas na Europa. Foram descartados posts comentando ou compartilhando notícias. Os resultados foram comparados com a mesma análise feita no inverno de anos anteriores até 2014.

Os cientistas encontraram um aumento “significante” nas menções aos sintomas no inverno de 2019-2020. Na Itália, por exemplo, houve um aumento no uso das expressões na primeira semana de 2020. O primeiro caso foi confirmado no país em 20/2. O mesmo padrão foi observado na França.

Em outros países como Espanha, Polônia e Reino Unido, a alta no uso das palavras aconteceu cerca de duas semanas antes do primeiro caso confirmado.

“Os sinais apareceram, primariamente, nas regiões geográficas que se tornaram os principais pontos de infecção”, escrevem os pesquisadores. A ideia do grupo é usar esse tipo de rastreamento para prever novos surtos.

Mais lidas
Últimas notícias