Coronavírus: remédio contra Aids pode ser melhor que cloroquina

Pesquisadores da Fiocruz compartilharam estudo sugerindo que o atazanavir seja incorporado a protocolos de tratamento contra a Covid-19

Myke Sena/Esp. Metrópoles

atualizado 07/04/2020 12:01

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificaram que o medicamento atazanavir, usado no tratamento da Aids e fabricado em larga escala no Brasil, tem efeito promissor contra o novo coronavírus. Realizada in vitro, ou seja, sem testagem em humanos, a pesquisa foi publicada no último domingo (05/04), na plataforma internacional BiorXiv.

Os cientistas observaram que, em laboratório, o remédio inibe a replicação do vírus e reduz a produção de proteínas ligadas ao processo inflamatório nos pulmões. Agora, eles sugerem que o medicamento seja incluído em protocolos de pesquisa com pacientes que estão com a Covid-19.

Segundo o virologista Thiago Moreno, do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz), a análise de remédios já aprovados para outros usos “é a estratégia mais rápida que a ciência pode fornecer para ajudar no combate à Covid-19”.

O estudo também comparou o Atazanavir à cloroquina. Nesse caso, o medicamento utilizado contra o HIV se mostrou mais eficaz tanto usado sozinho, quanto combinado à substância ritonavir, também utilizada no tratamento da Aids.

“Se a cloroquina fosse 100% eficaz, não teríamos mais nenhuma morte por Covid-19. Mesmo que ela seja aprovada como tratamento padrão, muita gente não poderá usá-la, devido aos efeitos colaterais, então e sempre positivo termos alternativas.”, disse Moreno ao jornal Estadão. (Com informações do Estadão)

Últimas notícias