Cientistas explicam por que alguns morrem de Covid e outros não

Pesquisadores de Oxford descobriram gene humano que dobra o risco de morte pela infecção entre seus portadores

atualizado 05/11/2021 13:12

Coronavirus COVID-19Getty Images

Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, identificaram uma gene humano que dobra o risco de morte após a infecção pelo novo coronavírus. A descoberta, anunciada nesta sexta-feira (5/11), pode ajudar no desenvolvimento de tratamentos mais eficazes para as pessoas que possuem o gene.

De acordo com a pesquisa publicada na revista Nature Genetics, cerca de 60% das pessoas com ancestrais do sul da Ásia e 15% das pessoas de ascendência europeia carregam o gene LZTFL1, de alto risco para a doença.

Ele torna os pulmões mais suscetíveis ao coronavírus porque atrapalha um mecanismo de proteção que as células que revestem os pulmões usam para se defender de doenças, deixando-as mais vulneráveis ​​à invasão do novo vírus.

A descoberta, segundo os pesquisadores, explicaria em parte porque algumas comunidades no Reino Unido e do Sul da Ásia sofreram mais com a doença.

A nova descoberta é uma informação a mais no arsenal de conhecimentos construídos sobre a doença. Ela não invalida o que já se sabe sobre os fatores de risco associados à Covid-19, como idade avançada, obesidade, pressão alta e problemas no sistema imunológico.  (Com informações da Agência Reuters)

Saiba como o coronavírus ataca o corpo humano:

0

 

 

Mais lidas
Últimas notícias