Cientistas descobrem como a febre ajuda corpo a lutar contra infecções

Em estudo publicado na revista Nature, um tipo de célula do sistema imune precisa de altas temperaturas para produzir proteínas

atualizado 22/01/2019 23:49

s-dmit/iStock

Pesquisadores do Instituto Shanghai de Biomedicina e Biologia Celular, na China, descobriram uma particularidade sobre o mecanismo de proteção ativado pela febre. Durante estudos com ratos, os cientistas criaram células imunes T e elevaram a temperatura para 40 °C.

Segundo o estudo, publicado pela revista Nature, o calor fez os linfócitos produzirem proteínas de choque térmico para proteger as células contra o estresse. Essas proteínas viajam até as membranas das células em perigo, desencadeando um processo de formação de complexos que grudam nas paredes dos vasos sanguíneos e ajudam na migração dos linfócitos T até o local de infecção.

Os pesquisadores criaram, em laboratório, ratos geneticamente modificados para não ligar as proteínas de choque térmico às células. Os animais infectados por bactérias causadoras de diarreia morreram rapidamente.

A importância do estudo é orientar a produção de novos medicamentos para combater infecções: terapias desenhadas para aumentar os níveis das proteínas podem ser mais eficientes para proteger o corpo.

Últimas notícias