Chega às farmácias 1º medicamento brasileiro produzido à base de maconha

Fruto de uma pesquisa desenvolvida na USP, medicamento tem o canabidiol como princípio ativo e é indicado para quadros de epilepsia

Foto: Unsplash

atualizado 22/05/2020 11:33

O primeiro remédio brasileiro para epilepsia feito à base de canabidiol – medicamento derivado da maconha – começou a ser vendido nesta semana nas farmácias do país. A caixa com a solução 30 ml custa mais de R$ 2 mil.

O medicamento é indicado para crianças e adolescentes com quadros graves de epilepsia refratária, mas apenas como uma das últimas alternativas ao tratamento da doença, quando outros medicamentos já tiverem sido descartados por não apresentarem efeito.

Foram 35 anos de pesquisas e testes desenvolvidos pela Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto (SP) até que o produto ficasse pronto. Ele é fabricado em parceria com uma indústria farmacêutica do Paraná.

Embora o canabidiol seja um dos compostos da planta da maconha, ele não tem efeitos relacionados ao THC e não causa dependência, tolerância ou implicações psicoativas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a comercialização do produto no fim de abril. A venda controlada só pode ser feita com prescrição médica. Centenas de pacientes participaram dos testes do medicamento e, de acordo com os pesquisadores, eles tiveram melhora da qualidade de vida com a redução do número de crises de epilepsia.

Todos os insumos do remédio são importados da Europa, uma vez que o cultivo da maconha é proibido no Brasil, isso justifica o alto custo de venda do medicamento.

Últimas notícias