Caso mais longo de Covid: sobrevivente ficou 335 dias com coronavírus

Paciente teve câncer e se recuperou da doença, e apesar de estar com o coronavírus, não tem mais qualquer sintoma da infecção

atualizado 21/10/2021 17:09

Representação de coronavírus em fundo cinzaAndriy Onufriyenko/GettyImages

Um estudo publicado na plataforma MedRxiv no começo de outubro relata o caso mais longo de Covid-19 até o momento. Uma mulher americana de 47 anos, imunossuprimida após tratar com sucesso um câncer, ficou com o coronavírus no corpo por 335 dias.

A paciente foi infectada pela primeira vez em 2020, e apresentou sintomas leves ou ficou sem sinal da doença por cerca de dez meses. Foram feitos vários testes, que sempre voltavam positivos para a presença do coronavírus. Os médicos acreditavam que os resultados eram falsos positivos ou detectavam pedaços do vírus muito pequenos.

Porém, em março de 2021, a carga viral subiu novamente, e foi feito um sequenciamento genético do vírus. Os cientistas descobriram que o vírus era muito semelhante ao encontrado no início da infecção anterior e diferente das variantes em circulação naquele momento e afastaram a possibilidade de reinfecção.

Saiba mais sobre a Covid longa, ou persistente:

0

Ela recebeu tratamento, e foi detectado o fim da infecção em abril deste ano. A paciente, que não foi identificada, já fez mais exames desde então, e todos foram negativos. O trabalho passará pela revisão de pares.

Mais lidas
Últimas notícias