Bebê de 2 meses é salva por transplante de coração inédito

A bebê Naiara recebeu o transplante de coração de doador com parada cardíaca e tipo sanguíneo incompatível; caso é único no mundo.

atualizado 18/05/2021 17:48

pés de bebêReprodução/Pixabay

A vida de Naiara, uma menina espanhola de apenas dois meses, foi salva por uma cirurgia pioneira no mundo. Trata-se do primeiro transplante de coração para bebês realizado em assistolia – com um coração que já parou – e com grupo sanguíneo incompatível entre doador e receptor.

“Foi o dobro da mágica”, afirmou em entrevista ao jornal El País, Juan Miguel Gil Jaurena, chefe de cirurgia cardíaca infantil do Hospital Gregorio Maranon, em Madri, onde o procedimento foi feito. Naiara está internada lá, se recuperando do procedimento.

Ele explicou que tais técnicas não existiam para crianças pequenas até três anos atrás, e que nunca haviam sido usadas em um bebê tão pequeno. Em 2018, o hospital realizou o primeiro transplante infantil do mundo entre doadores incompatíveis. Agora, a novidade foi que o coração do bebê doador estava parado, e teve que ser reanimado antes de ser retirado.

O caso abre caminho e traz esperança para salvar mais bebês que precisam de transplante de coração e são muito jovens para usar dispositivos de suporte ventricular até que consigam um doador compatível.

A bebê, Naiara, foi diagnosticada com uma doença cardíaca congênita ainda na gravidez, teve um parto prematuro e pesava apenas 3,2 quilos quando a cirurgia foi realizada.

“Ela é o menor bebê que tivemos para um transplante de coração e 24 horas antes da cirurgia sua condição piorou muito. Se ela não tivesse feito um transplante, provavelmente não estaria aqui”, disse Manuela Camino, chefe da unidade de transplante cardíaco infantil.

Com 37,4 doadores por milhão de pessoas, a Espanha foi no ano passado o país líder mundial em transplantes, de acordo com o banco de dados global sobre doação e transplante da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Últimas notícias