Anvisa: uma em cada 10 pessoas sente efeitos leves depois da vacina

Agência Nacional de Vigilância Sanitária afirma que sintomas mais comuns são dor de cabeça, febre e fadiga

atualizado 22/02/2021 16:44

Enfermeira preparam vacina para aplicar em idosos, em goiâniaVinícius Schmidt/Metrópoles

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma em cada 10 pessoas que tomam as vacinas contra a Covid-19 aplicadas no Brasil (Oxford/AstraZeneca e Coronavac) registra efeito adverso leve após receber o imunizante. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça e fadiga, além dos relativos aos quadros de gripe.

No entanto, essas ocorrências estão dentro do previsto e não devem assustar às pessoas imunizadas ou ser um desincentivo para aqueles que ainda não foram vacinados. “É algo absolutamente esperado, são reações previstas e que acontecem com outras vacinas”, afirmou Suzie Marie Teixeira Gomes, gerente-geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária, em entrevista coletiva na tarde desta segunda (22/2).

Ela explica que ainda é cedo para ter um cenário consolidado sobre os efeitos gerais dos imunizantes, uma vez que ainda foram aplicadas poucas vacinas. Alguns eventos graves, como alterações neurológicas, por exemplo, podem demorar até um ano para serem analisadas. “Pelas informações que temos até agora, os dados não mostraram alteração no perfil de segurança das vacinas, o que é um ponto muito importante para a gente”, diz.

Suzie conta que, apesar de o processo de uso emergencial ser uma modalidade nova, a vigilância para detectar eventos adversos funciona da mesma forma que outros produtos com registro tradicional. “Há duas formas de fazer esse monitoramento de efeitos graves, via e-SUS, ligado ao Programa Nacional de Imunização (PNI), e Vigimed, da Anvisa”, explica a gerente-geral.

Veja, na galeria, como cada tipo de vacina funciona:

0

Últimas notícias