Anvisa pede que AstraZeneca inclua coágulos na bula da vacina de Covid

Segundo a agência, foram aplicadas mais de 4 milhões de doses no país, e, até o momento, 47 casos suspeitos estão sendo investigados

atualizado 08/04/2021 16:13

VACINA covishield astrazenecaGustavo Moreno/Especial para o Metrópoles

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu, na noite de quarta (7/4), que a AstraZeneca, responsável pela vacina de Oxford, inclua, na bula do medicamento, a possibilidade do surgimento de coágulos. Segundo o órgão, os casos são muito raros, e a recomendação é que o imunizante continue sendo aplicado.

No Brasil, foram administradas mais de 4 milhões de doses da vacina que está sendo envasada pela Fiocruz. A Anvisa afirma que foram registrados 47 casos suspeitos de eventos tromboembólicos no país, mas não é possível estabelecer uma relação direta de causalidade entre o problema e o imunizante.

“A solicitação para alteração na bula da vacina de Oxford/Astrazeneca/Fiocruz é resultado de um monitoramento contínuo de produtos, realizado pela Anvisa. O acompanhamento é feito pela Gerência de Farmacovigilância (GFARM), da Gerência-Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária (GGMON), para que a população e os profissionais de saúde detenham o maior conjunto de informações sobre os riscos associados ao uso de medicamentos e vacinas no país”, diz, em nota, a agência.

A Anvisa reafirma que a ocorrência de coágulos é muito rara. O órgão regulador ressalta ainda que a população deve estar atenta para os sintomas, tais como falta de ar, dor no peito, inchaço na perna e dor abdominal persistente, além de sintomas neurológicos, como visão turva e dor de cabeça forte e persistente. Caso algum desses sinais seja identificado, a orientação é procurar atendimento médico de urgência.

Entenda o caso:

0

Últimas notícias