Agência inglesa não vê ligação entre miocardite e vacina da Pfizer

Dezenas de casos de inflamação cardíaca foram registrados após a aplicação da injeção em Israel. Autoridades investigam

atualizado 28/04/2021 9:54

Vacina Pfizer coronavírusPete Bannan/MediaNews Group/Daily Local News via Getty Images

A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do Reino Unido (MHRA, na sigla em inglês), informou nesta quarta-feira (28/4) que “não há novas preocupações de segurança” sobre a possibilidade de a vacina contra Covid-19 da Pfizer/ BioNTech causar inflamação do coração.

O comunicado é feito três dias depois de o Ministério da Saúde de Israel informar que analisa “dezenas de incidentes” de miocardite entre mais de 5 milhões de vacinados com o imunizante da Pfizer no país do Oriente Médio. O governo ainda não fez nenhuma conclusão sobre o assunto.

De acordo com um porta-voz da agência reguladora, o MHRA faz monitoramentos frequentes das doses aplicadas no Reino Unido e está ciente dos relatos de miocardite sob investigação em Israel.

“Com base em nossa experiência e monitoramento de segurança no Reino Unido, atualmente não há novas preocupações de segurança levantadas em relação à miocardite ”, disse o porta-voz.

Após o comentário, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos também se pronunciaram sobre o assunto, afirmando não terem visto uma ligação entre a injeção e a condição cardíaca.

Saiba como as vacinas contra Covid-19 atuam:

0

 

Últimas notícias